Evite oito erros mais comuns de investir numa franquia

Evite oito erros mais comuns de investir numa franquia

18 de junho de 2022

O mercado de franquias está em franca recuperação no Brasil e em Goiás. O setor faturou R$ 5 bilhões no ano passado no Estado, crescimento de 18,6% em relação a 2020, segundo a Associação Brasileira de Franquias (ABF). No primeiro trimestre deste ano, redes de franquias no País cresceram 8,8% em faturamento (para R$ 39,8 bilhões) em comparação com o mesmo período do ano passado. É o quarto trimestre seguido de alta do setor.

“O franchising segue como uma opção muito interessante para os investidores. Mas ainda se nota que há muitos erros cometidos por eles que comprometem seu sucesso como franqueados”, alerta Marina Nascimbem Bechtejev Richter, advogada e sócia do escritório NB Advogados, que acompanha o sistema há anos.

Confira os 8 erros mais comuns:

Não analisar criteriosamente a Circular de Oferta de Franquia e o contrato antes de pagar qualquer valor: estão nesses documentos todas as informações e números do negócio, bem como as regras que vão regular a relação entre franqueador e franqueado. É tão importante que vale, inclusive, recorrer a advogados de confiança para entender os textos plenamente.

Não conhecer as obrigações e, principalmente, a obrigação de não competir prevista em contrato: conforme citado acima, especialmente no contrato estão todas as obrigações do franqueado. Uma delas é a clausula de não-concorrência, ou seja, está determinado em contrato por quanto tempo o franqueado, após o fim do contrato de franquia, não poderá exercer atividades ou serviço análogos ou afins ao sistema ou atuar ou participar de sociedade que atue em segmentos concorrentes ou afins.

Não estar preparado para se dedicar ao negócio: embora o franqueado faça parte de uma rede e receba treinamento e suporte da franqueadora, é dele a responsabilidade de fazer o negócio prosperar. São indispensáveis dedicação, comprometimento e muito trabalho para que a franquia funcione adequadamente e seja rentável.

Não ter a uma quantia extra, além do exigido para o investimento na franquia: quando o investidor tem o dinheiro exato para a compra da franquia, ele corre os risco de não conseguir ‘rodar’ o negócio adequadamente e se manter, já que sempre leva um tempo para que a franquia tenha lucro.

Não conversar com os franqueados da rede antes de investir: quem são as melhores pessoas para fornecer informações sobre uma determinada franquia? Os franqueados! É essencial conversar com eles – e também com ex-franqueados – para entender o perfil da franquia, o dia a dia de um franqueado e se a franqueadora entrega o que promete durante o processo de venda.

Não entender como funciona o suporte da franqueadora: a franqueadora jamais irá operar a loja do franqueado. Dar suporte não significa estar na unidade franqueada fazendo o papel que cabe ao franqueado, mas sim, dar apoio e recursos para que ela funcione adequadamente e gere resultados.

Dar pouca atenção aos treinamentos e eventos oferecidos: é o franqueado que precisa estar à frente de todo processo de capacitação até mesmo para compartilhar com sua equipe. Quando ele sabe o que acontece e como se faz, fica mais fácil gerir a franquia e até colaborar com a franqueadora – com suas ideias e experiência – para o sucesso de todos.

Não escolher um ponto de venda adequado: este é um ponto crucial para o sucesso da franquia. Um ponto de venda fraco não é capaz de atrair adequadamente os clientes. E sem clientes, não há receita suficiente para o negócio se manter e para obter o retorno do capital investido.

Leia também: Confira 27 opções de investimento em franquias goianas.

O portal Empreender em Goiás é uma iniciativa privada com a missão de incentivar a abertura e o crescimento de empresas. Contamos com os melhores parceiros para gerarmos notícias, análises, pesquisas, serviços e oportunidades de negócios.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.