Goiás tem a sétima menor taxa de desemprego do País

Goiás tem a sétima menor taxa de desemprego do País

13 de maio de 2022

A taxa de desemprego em Goiás ficou em 8,9% no primeiro trimestre deste ano, um pouco menor em relação ao trimestre anterior (8,7%), que havia tido a terceira queda seguida, conforme dados divulgados nesta sexta-feira (13/5) pelo IBGE. O Estado tem a sétima menor taxa de desemprego do País.

Goiás inicia o ano com uma taxa de desemprego de 4 pontos percentuais menor da que iniciou 2021 (13,9%). Em números absolutos, a população desocupada no Estado foi estimada em 343 mil pessoas, com alta de 12 mil em relação ao trimestre anterior (332 mil pessoas), mas dentro de uma margem de estabilidade.

Já em relação ao mesmo trimestre do ano anterior (505 mil pessoas), houve redução de 162 mil pessoas desocupadas.

A taxa de desemprego no Brasil ficou em 11,1% no primeiro trimestre deste ano, a menor para um trimestre encerrado em março desde 2016, mas 11,9 milhões de brasileiros não conseguem um emprego.

Informalidade

Conforme a pesquisa, Goiás tinha 3,9 milhões de pessoas na força de trabalho no primeiro trimestre deste ano, aumento de 2,1% (79 mil pessoas) em relação ao trimestre anterior. A taxa de informalidade passou de 41%, no quarto trimestre de 2021, para 39,8% no primeiro trimestre de 2022. Apesar da queda de 14 mil pessoas, esse índice ficou estável.

A única classe que apresentou variação significativa no primeiro trimestre deste ano em Goiás foi a dos trabalhadores no setor privado com carteira assinada, saindo de 1,2 milhão para 1,3 milhão, variação de 4,9%. Conforme o IBGE, os trabalhadores do setor privado sem carteira assinada chegam a 506 mil; os trabalhadores domésticos com carteira são 77 mil e sem carteira são 185 mil.

A pesquisa aponta também que Goiás tem 409 mil trabalhadores no setor público. Já os empregadores com CNPJ são 128 mil e sem CNPJ chegam a 34 mil. Os trabalhadores por conta própria com CNPJ são 212 mil e sem CNPJ, 651 mil. Enquanto os trabalhadores familiares auxiliares são 27 mil pessoas.

Renda média
No primeiro trimestre de 2022, a pesquisa estimou que o rendimento médio real dos trabalhadores em Goiás foi de R$ 2.477, que representa estabilidade em relação ao quarto trimestre (R$ 2.466) e em relação ao primeiro trimestre de 2021 (R$ 2.538). O rendimento médio já foi de R$ 2.625 no primeiro trimestre de 2019.

O portal Empreender em Goiás é uma iniciativa privada com a missão de incentivar a abertura e o crescimento de empresas. Contamos com os melhores parceiros para gerarmos notícias, análises, pesquisas, serviços e oportunidades de negócios.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.