Mercado reduz estimativa de inflação e alta menor do PIB

Mercado reduz estimativa de inflação e alta menor do PIB

27 de dezembro de 2021

A redução das estimativas de inflação e a previsão de alta menor para o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2021 são os principais destaques do último Boletim Focus deste ano divulgado nesta segunda-feira (37) pelo Banco Central. Os economistas do mercado financeiro consideram, em média, que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA) deve fechar o ano variando 10,02% – ante expectativa de alta de 10,04% na última semana. Já o PIB deve avançar 4,51%, percentual menor do que os 4,58% anunciados no último Boletim Focus.

Caso a previsão se confirme, será a primeira vez desde 2015 que a inflação chega a dois dígitos. Na oportunidade, a inflação foi de 10,67%. O centro da meta de inflação em 2021 é de 3,75%. Pelo sistema vigente no país, será considerada cumprida se ficar entre 2,25% e 5,25%. Portanto, a projeção do mercado equivale a mais que o dobro da meta central de inflação.

Para 2022, o mercado financeiro manteve em 5,03% a estimativa de inflação. A previsão de inflação segue acima do teto do sistema de metas para o ano que vem (5%). A meta central de inflação para 2022 é de 3,50% e será oficialmente cumprida se o índice oscilar entre 2% e 5%.

PIB

O mercado financeiro também reduziu a previsão de crescimento do PIB deste ano, que passou de 4,58% para 4,51%. O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e serve para medir a evolução da economia.

Para 2022, os analistas do mercado reduziram a previsão de alta do PIB de 0,50% para 0,42%. No começo deste ano, a previsão dos analistas era de uma alta de 2,5% para a economia no próximo ano.

Taxa de juros

Os economistas do mercado financeiro mantiveram a expectativa para a taxa básica de juros da economia, a Selic, em 11,50% ao ano para o fim de 2022, o que pressupõe alta do juro básico da economia no próximo ano. Após sete altas seguidas, a taxa Selic está atualmente em 9,25% ao ano, o maior patamar em mais de quatro anos.

Outras estimativas

Dólar: a projeção para a taxa de câmbio no fim de 2021 subiu de R$ 5,60 para R$ 5,63. Para o fim de 2022, avançou de R$ 5,57 para R$ 5,60 por dólar.

Balança comercial: para o saldo da balança comercial (resultado do total de exportações menos as importações), a projeção em 2021 subiu de US$ 59,09 bilhões para US$ 59,15 bilhões de resultado positivo. Para o ano que vem, a estimativa caiu de US$ 55,25 bilhões para US$ 55 bilhões de superávit.

Investimento estrangeiro: a previsão do relatório para a entrada de investimentos estrangeiros diretos no Brasil neste ano subiu de US$ 51,25 bilhões para US$ 52 bilhões. Para 2022, a estimativa passou de US$ 57,55 bilhões para US$ 58 bilhões.

O portal Empreender em Goiás é uma iniciativa privada com a missão de incentivar a abertura e o crescimento de empresas. Contamos com os melhores parceiros para gerarmos notícias, análises, pesquisas, serviços e oportunidades de negócios.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.