Puxada por combustíveis, inflação em Goiânia acelera em agosto

Puxada por combustíveis, inflação em Goiânia acelera em agosto

9 de setembro de 2021

Petrobras reajusta em 12% o preço da gasolina nas refinarias a partir desta quinta-feira

A inflação, calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ficou em 1,05% em agosto em Goiânia, depois de ter fechado em 0,92% no mês de julho. Com isso, o IPCA em Goiânia acumula alta de 5,69% no ano, e 10,54% nos últimos doze meses. Puxada pelo aumento dos preços combustíveis, esta foi a maior taxa para um mês de agosto desde 2000, quando atingiu 1,55%, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (9) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Goiânia registrou a quarta maior alta do país, sendo superada apenas por Brasília (1,40%), Grande Vitória (1.30%) e Curitiba (1,21%)

Conforme o IBGE, entre os itens com maiores pesos na cesta de compras das famílias com rendimentos entre 1 e 40 salários-mínimos em Goiânia, destacam-se as variações mensais dos itens veículo próprio (1,81%), combustíveis de veículos (3,84%) e energia elétrica residencial (1,57%). O IBGE  destaca os aumentos de 3,60% da gasolina, 5,47% do etanol, 1,30% do óleo diesel e 1,57% da energia elétrica residencial, além da alta de 1,91% nos preços do automóvel usado e de 1,79% do automóvel novo.

De janeiro até agosto deste ano, o etanol já subiu 40,62%, e 64,76% nos últimos doze meses, enquanto a gasolina registrou aumento de 32,93% no ano e 42,62% nos últimos doze meses. O óleo diesel teve alta de 26,63% no ano e de 35,93% nos últimos doze meses. Já a energia elétrica residencial, que apesar de ter subido apenas 2,51% em 2021, acumula alta de 14,74% nos últimos doze meses.

O INPC de Goiânia, que abrange as famílias com rendimentos entre 1 e 5 salários mínimos,  registrou alta de 1,08% em agosto de 2021, a maior variação positiva desde o início de 2021, acumulando alta de 5,12% no ano.

Brasil

No Brasil, o IPCA fechou agosto com alta de 0,87%, a maior inflação para o mês desde o ano 2000. Com isso, o indicador acumula altas de 5,67% no ano e de 9,68% nos últimos 12 meses, o maior acumulado desde fevereiro de 2016, quando o índice alcançou 10,36%. Em agosto do ano passado, a variação foi de 0,24%.

Entre os nove grupos e serviços pesquisados pelo instituto, oito subiram em agosto, com destaque para os transportes, com alta de 1,46%, puxado pelos combustíveis. A gasolina subiu 2,80% o etanol 4,50%, gás veicular 2,06% e óleo diesel 1,79%.

Já o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) teve alta de 0,88% em agosto, 0,14 ponto percentual abaixo do resultado de julho, quando a alta foi de 1,02%. No ano, o indicador acumula elevação de 5,94% e em 12 meses chega a 10,42%, acima dos 9,85% observados nos 12 meses anteriores. Em agosto do ano passado, a taxa variou 0,36%.

O portal Empreender em Goiás é uma iniciativa privada com a missão de incentivar a abertura e o crescimento de empresas. Contamos com os melhores parceiros para gerarmos notícias, análises, pesquisas, serviços e oportunidades de negócios.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.