Covid-19: comitê avalia sugerir novas medidas em Goiás

Covid-19: comitê avalia sugerir novas medidas em Goiás

22 de janeiro de 2021

O comitê de enfrentamento à Covid-19 em Goiás, sob a coordenação do governo do Estado, avalia sugerir novas medidas de restrição às atividades econômicas para combater o segundo avanço do coronavírus. Uma reunião para tratar deste assunto está prevista para esta quarta-feira (27/01). Segundo dados da Secretaria Estadual da Saúde, já são duas semanas consecutivas de aumento no número de pessoas infectadas pelo vírus em Goiás. Desde o ano passado, 333,6 mil pessoas foram confirmadas com a Covid-19 e 7,1 mil morreram por complicações da doença no Estado.


Segundo fontes ouvidas pelo EMPREENDER EM GOIÁS no comitê estadual, embora não há nenhuma decisão sobre as novas medidas a serem sugeridas para o governo, algumas estão em estudo, caso o número de contágios e mortes avance mais rapidamente nas próximas duas semanas. A ocupação de leitos de UTI exclusivos na rede hospitalar para tratar pacientes com a doença em Goiás, por exemplo, superou nesta semana novamente os 70% (fechando na semana na casa dos 67%). Em alguns hospitais privados já está próxima de 100%.


A taxa de óbitos, que chegou a ficar na casa dos 400 por semana no auge da pandemia em 2020, atualmente está inferior a 100 por semana. Só que deixou de cair, como vinha acontecendo até o final do ano passado. Já foram realizados, segundo dados oficiais, mais de 705 mil testes na população goiana desde o ano passado: 43,7% deram resultado positivo para a Covid-19. A taxa média de isolamento social, que chegou a superar os 60% em março de 2020, hoje está na casa dos 30% no Estado.


Estas fontes afirmam que estão descartadas repetir as medidas de restrição das atividades econômicas adotadas pelo governo de Goiás no início da pandemia, em março de 2020. Embora a curva de contágios e mortes voltou a subir nas últimas duas semanas, ainda é bem inferior ao pico da pandemia em meados do ano passado no Estado. Há também resistência da maioria dos prefeitos goianos (embora alguns já anteciparam novas medidas no início deste ano) e do empresariado por decretos mais rígidos de isolamento social neste momento.


Existe a expectativa também de que vacinação contra a Covid-19 avance no Brasil a partir de fevereiro, o que pode ter efeito positivo para achatar novamente a curva de crescimento do coronavírus no segundo semestre deste ano. “Embora a nova onda da doença é preocupante, está ainda menor que a primeira onda no segundo trimestre de 2020. Mas, acreditamos que algumas medidas precisarão ser tomadas, até termos maior abrangência da vacinação no País e em Goiás”, afirma um especialista em saúde sanitária e membro do comitê estadual.


Entre as medidas em avaliação para serem sugeridas ao governo de Goiás, estão as de restringir o funcionamento de casas noturnas (locais geralmente fechados) e horário de bares e restaurantes, além de manter as restrições para abertura ao público nos eventos de grande porte. Locais de grande aglomeração, como clubes recreativos e hotéis, também podem ter reduzido o número da capacidade de atendimento de pessoas, pelo menos enquanto a curva de contágio e óbito estiver em crescimento no Estado. Algo que, na expectativa dos especialistas do comitê, pode ocorrer até o final de março ou início de abril. Oficialmente, o governo estadual informa que não há previsão de novos decretos para aumentar o distanciamento social e reduzir a disseminação do vírus em Goiás.

O portal Empreender em Goiás é uma iniciativa privada com a missão de incentivar a abertura e o crescimento de empresas. Contamos com os melhores parceiros para gerarmos notícias, análises, pesquisas, serviços e oportunidades de negócios.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.