Shoppings poderão reabrir a partir do dia 6 em Goiânia

Shoppings poderão reabrir a partir do dia 6 em Goiânia

28 de maio de 2020

O polo comercial da Região da 44 deve retomar no dia 13, mas sem atender compradores de outros Estados

Depois de uma queda de braço que durou por semanas, representantes de segmentos econômicos que ainda permanecem sem poder operar conseguiram um acordo com a Prefeitura de Goiânia por um escalonamento da retomada das atividades. O calendário, que começa na próxima segunda-feira, 1º de junho, segue até o final do mês e depende ainda da evolução dos números da Covid-19 em Goiás.

Na próxima segunda-feira, poderão reabrir as portas as imobiliárias e mercados municipais – com exceção do Mercado da Rua 3, no Centro, e os clubes de futebol. O restante do calendário foi dividido em três blocos: o grupo 1 inclui shoppings, comércio varejista de rua e escritórios de profissionais liberais; o grupo 2 inclui as clínicas de estética, galerias, restaurantes e feiras especiais; o grupo 3 tem bares, eventos, academias de ginástica e natação e estabelecimentos de ensino.

Em reunião que durou mais de cinco horas nesta quinta-feira (28/05), os empresários ouviram dos representantes da Prefeitura o compromisso de que as datas sejam oficializadas no início da semana que vem. Pela manhã, houve uma carreata que reuniu cerca de 2 mil carros de comerciantes. “Precisamos de um planejamento. Estamos prontos para abrir agora, com segurança, mas dependemos da Prefeitura”, disse o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), seção Goiás, Fernando de Oliveira Jorge.

Os representantes dos setores que ainda estão parados trabalham com as seguintes datas: dia 6 de junho, reabertura de shoppings e demais integrantes do grupo 1; dia 13, os do grupo 2, que inclui a Rua 44; e dia 20, os demais. “Nesse início, não vamos receber compradores de outros Estados, que representam 70% do total”, afirmou o presidente da Associação Empresarial da Região da 44 (AER-44), Jairo Gomes.

As demais medidas preparadas pela entidade são o fornecimento de máscaras para os trabalhadores, disponibilização de tapetes sanitários nos estabelecimentos, fornecimento de álcool em gel e higienização das ruas. “Vamos lavar tudo e pintar os meios-fios de branco”, disse. Além disso, o horário de funcionamento do comércio na região será mais curto, das 10 às 16 horas.

O presidente da Federação do Comércio de Goiás (Fecomércio), Marcelo Baiocchi, disse que o setor está preparado para retomar as atividades com todos os protocolos necessários. “Só assim conseguiremos abrir e nos manter abertos”, alertou. A confirmação das datas de reabertura gradual dessas atividades depende da evolução dos casos de Covid-19 em Goiânia. No início da semana, representantes dos setores envolvidos, da Prefeitura e do Centro de Operações de Emergência em Saúde (COE) se reúnem novamente para oficializar o cronograma.

No caso dos shoppings, mesmo se a permissão de funcionamento seja para o dia 6, a tendência é que eles voltem a funcionar apenas no dia 8, uma segunda-feira, para evitar aglomerações no fim de semana. “Agora, ao menos, temos uma esperança”, disse o presidente da Abrasel, Fernando Oliveira Jorge.

O portal Empreender em Goiás é uma iniciativa privada com a missão de incentivar a abertura e o crescimento de empresas. Contamos com os melhores parceiros para gerarmos notícias, análises, pesquisas, serviços e oportunidades de negócios.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.