Gilberto Soares: “Quem participa da SuperAgos aposta no aumento das vendas”

A 18ª SuperAgos-Convenção e Feira de Negócios para Supermercados e Panificadoras, que ocorrerá de 23 a 25 de setembro no Centro de Convenções de Goiânia, prevê gerar R$ 50 milhões em negócios, 30% a mais que na edição de 2018. O evento, que deve reunir 12 mil visitantes de Goiás e outras regiões do País, tem como tema central “Os novos caminhos que impactam no varejo”. Serão cerca de 140 expositores em área de 4,5 mil metros quadrados, concentrando os últimos lançamentos e tendências do autosserviço.

“Quem participa da SuperAgos aposta no aumento das vendas”, frisa o presidente da Associação Goiana de Supermercados (Agos), Gilberto Soares. A organização do evento pretende possibilitar que os varejistas e fornecedores se atualizem, adquiram conhecimentos e, ao mesmo tempo estabeleçam uma rede de comunicação para a troca de experiências. “É momento para convergir negócios, relacionamentos e conhecimento”, afirma.

Além de promover negócios diretamente com os fornecedores que expõem na feira, a SuperAgos oferecerá capacitação dos profissionais supermercadista e de panificação. Na programação constam palestras, cursos e oficinas técnicas. Haverá espaço para programação feminina, com sarau de poesias, músicas e palestras.

Segundo a Agos, 85% do consumo dos lares brasileiros passam pelos supermercados que estão atentos à evolução, ao crescimento, à tecnologia e ao perfil exigente do consumidor, que “hoje até os ajuda na gestão e nas operações com suas opiniões por meio dos recursos tecnológicos disponíveis na palma da mão”.

“Com a inflação em baixa, o segmento aposta na boa recuperação da economia no primeiro semestre do próximo ano, e nas reformas que vêm em efeito cascata positivar o segmento promovendo expansões”, prevê Gilberto Soares, ao comentar que os impactos trazidos pelos atacarejos chamam a atenção para a necessidade do profissionalismo da rede varejista.

O setor é um dos principais geradores de empregos. “Em Goiás, a rede supermercadista emprega 130 mil pessoas direta e indiretamente dentro dos diferentes portes de empresas, do micro aos grandes players”, aponta o superintendente da Agos, João Bosco Oliveira. Outro ponto de destaque da rede goiana é ganho de renda “que varia de 2% a 5% ao ano, dependendo do tamanho da loja”. De acordo com João Bosco, esta rentabilidade é pequena, “mas é possível se praticar considerando a economia que temos hoje”.

Em nível de Brasil, conforme dados divulgados pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras), o faturamento do setor de supermercados somou R$ 355,7 bilhões em 2018. O setor responde por 5,2% do Produto Interno Bruto (PIB) do País e gera 1,8 milhão de trabalhadores.


Deixe seu comentário