Aguinaldo e Daniel na linha de produção da marca Triel,  que atende empresas, lojas, hospitais, restaurantes, condomínios e residências
Aguinaldo e Daniel na linha de produção da marca Triel, que atende empresas, lojas, hospitais, restaurantes, condomínios e residências

Há 21 anos no mercado, a Águia Industrial Química se prepara para novos voos. Com DNA na linha de produtos de limpeza, higienização e embelezamento automotivo, a empresa investe R$ 2 milhões para automatização da linha de produção, ampliando o leque de atuação paraconquistar novas fatias de mercado.

Atualmente, a Águia Industrial Química tem mais de 410 produtos no catálogo. Eles são divididos em três linhas: automotiva, institucional e residencial. Diariamente, são produzidos entre 50 mil a 60 mil litros de xampus, ceras, detergentes, desengordurantes, desengraxantes, entre outros itens. A meta é chegar pelo menos a 90 mil litros por dia.

Para atingir o objetivo, a empresa já investiu R$ 500 mil na nova linha de produção, que será totalmente automatizada. Outros R$ 1,5 milhão estão sendo pleiteados junto ao Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO), linha de crédito do governo federal administrada pelo Banco do Brasil, com objetivo de fomentar empreendimentos na região por meio de juros menores que os do mercado.

Produtos modernos

Além do aumento no volume, o objetivo é oferecer produtos mais modernos. “O mercado de limpeza automotiva ainda muito a crescer em desenvolvimento de qualidade”, diz o diretor executivo Daniel Lisboa, que é filho do proprietário, Aguinaldo Lisboa. Ele cita dois exemplos: o desengraxante, que antes levava 70% de soda cáustica, hoje só usa 10%, para equilíbrio do pH; e o detergente automotivo, que exigia uma mistura de 1 litro para 10 litros de água e, atualmente, a proporção é de 1 litro por 200 de água.

Segundo ele, a busca é por produtos mais eficientes e ambientalmente sustentáveis, por meio de investimento em tecnologia, para substituir elementos químicos corrosivos como a soda. “Esse desenvolvimento é que queremos trazer para dentro da indústria”, afirma. O respeito ao meio ambiente, aliás, é uma preocupação constante: desde o início do funcionamento, os efluentes são 100% tratados e a água para limpeza interna é totalmente reaproveitada.

O carro-chefe da indústria é a linha automotiva, sob as marcas GMP Personal Car e Águia (para uso profissional). Ela oferece cera tradicional, cera líquida, limpa vinil, hidratante de couro, silicone em gel, entre outros. A linha institucional atende empresas, lojas, hospitais, restaurantes, condomínios, etc. A linha doméstica traz detergente, desinfetante e água sanitária. As duas com a marca Triel.

A Águia Industrial Química está presente, hoje, em Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso, Tocantins, Maranhão, Pará, Minas Gerais, Paraná e Santa Catarina. Na capital paranaense, Curitiba, tem uma loja própria, a GPM Produtos de Limpeza. Em Goiânia, a loja está localizada na Avenida C12, no Setor Sudoeste. Os clientes vão de concessionárias de automóveis, lavajatos, restaurantes e edifícios residenciais ao consumidor doméstico. “Entrar no mercado do varejo é o grande desafio”, afirma Daniel Lisboa.

Daniel e Aguinaldo com alguns dos 410 produtos do catálogo Águia Industrial Química, empresa familiar que está há 21 anos no mercado
Daniel e Aguinaldo com alguns dos 410 produtos do catálogo Águia Industrial Química, empresa familiar que está há 21 anos no mercado

Nova era

Diretor presidente da empresa, Aguinaldo Lisboa explica que a linha automotiva, que deu origem à Águia, representa 60% do faturamento anual. A capacidade produtiva dessa linha, segundo ele, tem potencial para quadriplicar. “As crises econômicas são cíclicas e não atrapalham nosso crescimento”, afirma.

O DNA automotivo tem uma explicação: após algumas experiências no início da vida profissional, Aguinaldo tornou-se representante da Visão Química do Brasil, uma empresa que vendia produtos para postos de combustível (como produtos para limpeza de automóveis, lubrificantes e estopas) em abril de 1983.

Após passar por algumas empresas, em 1997 teve uma reunião familiar que traçou o destino dele, da mulher (Marly) e dos três filhos: Daniel, Samuel e Ezequiel. A família toda, então, colocou, literalmente, a mão na massa no terreno de cinco mil metros em Aparecida de Goiânia. Com os recursos, R$ 27 mil de um empréstimo do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), via Bradesco, a família inicia uma nova era.

Enquanto a obra de 80 m² era erguida, a família buscou capacitação no Sebrae Goiás. O plano de Negócio projetou uma produção entre 15 mil a 20 mil litros por mês. “Tudo começou com produtos básicos, como intercap, xampu e solupan”, conta Aguinaldo. No dia 15 de março de 1998, os primeiros 7 mil litros ficaram prontos. No dia seguinte, a Águia Industrial Química emitiu a primeira nota fiscal, de R$ 200, para a Cevel – concessionária de automóveis.

Desde então, muita coisa mudou. A produção cresceu quase dez vezes e o catálogo foi ampliado. A busca por qualificação e inovação por meio de cursos do Sebrae e da Federação das Indústrias de Goiás (Fieg) foi uma constante. Mas uma coisa permanece: “Fomos na raça. Eu, minha esposa e meus filhos trabalhamos como serventes, abrimos a cisterna. O negócio é de família mesmo. Todos trabalham na Águia”, conta Aguinaldo Lisboa.


Deixe seu comentário