A Fasam, que completa 18 anos em 2019, está instalada às margens da BR-153, km 502, Jardim da Luz, em uma área de 60 mil m², com 11 mil m² de área construída

A Faculdade Sul-Americana (Fasam), fundada em 2001, completa a maioridade em 2019, com um presente para os estudantes goianos: a instituição de ensino superior caminha para se transformar em Centro Universitário pelo Ministério da Educação (MEC). “Isso nos dará mais independência na criação de novos cursos e emissão própria de diplomas”, comemora o professor Paulo Gonçalves de Castro, que dirige a Fasam juntamente com os filhos.

A mudança para Centro Universitário garante autonomia para a Fasam criar novos cursos no ensino superior, além de ampliar suas graduações nos mais diversos campos do saber. Por outro lado, a instituição é obrigada a ter, no mínimo, um terço do corpo docente com mestrado ou doutorado e, pelo menos, um quinto dos professores contratados em regime de tempo integral. São exigências e autonomia semelhantes às de universidades.

“Temos mantido ótima avaliação pelo MEC, o que facilitou pleitear ser Centro Universitário. Nossa meta é manter esse padrão de qualidade tanto em instalações quanto no projeto pedagógico”, diz Paulo Gonçalves, ao acrescentar que a Fasam mantém 15 cursos de pós-graduação em várias áreas e possui nota 4 no Conceito Institucional (CI) do MEC, em um ranking que vai de 1 a 5.

Paulo Gonçalves de Castro, diretor da Fasam: “Nosso propósito é seguir ampliando esse ideal de ter uma instituição goiana de ensino superior forte e espalhada pelo Estado”

Em Goiânia, a Fasam oferece 10 cursos de graduação – odontologia, direito, administração, ciências contábeis, jornalismo, publicidade, relações públicas, sistemas de informação, enfermagem e pedagogia. Também disponibiliza cursos superiores de extensão e de curta duração. Todos reconhecidos pelo MEC.

A instituição conta com uma média de 170 professores na graduação, outros 50 (maioria doutores e mestres) dedicados aos cursos de pós-graduação e 60 técnicos administrativos. São pelo menos três mil alunos. “Sempre buscamos aliar qualidade de infraestrutura com equipe docente de alto nível”, revela Paulo Gonçalves. A sede da Fasam está instalada às margens da BR-153, km 502, Jardim da Luz, em uma área de 60 mil m², com 11 mil m² de área construída.

Expansão

Em 2010, o professor Paulo Gonçalves assumiu a direção da Fasam, juntamente com os filhos Iury Oliveira Castro e Ítalo Oliveira Castro. Um arrojado plano de expansão foi colocado em prática, que reposicionou a instituição no segmento de ensino superior e garante suporte ao grupo proprietário para a expansão e criação de uma nova faculdade no município de Caldas Novas (a 165 km de Goiânia). A Integra – Faculdades Integradas da América do Sul – começa a funcionar em 2019, com 500 vagas no primeiro vestibular distribuídas nos cursos de odontologia, direito, enfermagem, psicologia e tecnológico em recursos humanos.

A Integra está instalada no Bairro Lagoa Quente, próxima ao complexo empresarial Lagoa, em um terreno de 60 mil m 2 . O prédio da Integra ocupa 8.990 m 2 e a instituição reserva 83% do terreno para uma área de conservação. A faculdade terá capacidade para seis mil alunos em três turnos (manhã, tarde e noite). Segundo Paulo Gonçalves, a faculdade só aguarda a publicação dos editais de autorização dos cursos pelo MEC para agendar o vestibular.

Sede da Faculdade Integra – Faculdades Integradas da América do Sul – que começa a funcionar em 2019, em Caldas Novas, com 500 vagas no primeiro vestibular

De olho no futuro

Matemático e engenheiro eletricista, Paulo Gonçalves tornou-se professor por paixão. Conciliou por anos a carreira pública (foi funcionário efetivo da extinta Telegoiás, atual Oi) com aulas no ensino médio em Goiânia (matemática e física). Da janela de sua sala de trabalho, no prédio da Telegoiás (que ainda fica de frente ao prédio da Fasam, às margens da BR 153), acalentava o sonho de ter sua própria instituição de ensino.

Até imaginava que poderia ser ali mesmo, uma das áreas que passou a prospectar em busca de realizar o sonho. “Rodei 16 mil quilômetros num Fiat Palio atrás de área para construir a escola”, recorda detalhando a saga que resolveu enfrentar no final na década de 90.

Com um sócio, depois de muita negociação (que envolveu inclusive a disputa se seria uma escola de nível médio ou superior; acabou convencendo que o melhor seria apostar nos cursos de terceiro grau), adquiriu 60 mil m² na área da atual sede da Fasam, exatamente no local que mirava da janela da Telegoiás anos antes.

Dois anos depois, no segundo semestre de 2001, coroando muita dedicação, incluindo o acompanhamento diário da construção, nascia a Fasam – Faculdade Sul-Americana, nome inspirado nas Faculdades Euroamérica, de Brasília (DF). A instituição começou com autorização de ter oito cursos superiores, o que cresceu para os 10 atuais, mais os de pós-graduação.

“Hoje, vejo que valeu a pena lutar por este sonho. Nosso propósito é seguir ampliando esse ideal de ter uma instituição goiana de ensino superior forte e espalhada pelo Estado. Estamos num novo ciclo que espero que seja longo e vitorioso”, resume o professor Paulo, como ainda é chamado pelos alunos e funcionários.


Deixe seu comentário