O Brasil está entre os três primeiros países nos quais as pessoas ficam mais de nove horas por dia conectadas à internet, de acordo com o relatório Digital in 2018, realizado pelas empresas We Are Social e Hootsuite. O estudo mostrou também que os brasileiros ficam, em média, três horas por dia nas redes sociais.

Por esse motivo, essas mídias tornaram-se importantes ferramentas de comunicação para os empreendedores atraírem e fidelizarem clientes. Nesse contexto, é fundamental aproveitar o cenário e as oportunidades que surgem para que as micro e pequenas empresas tenham uma presença digital cativante e, ao mesmo tempo, estratégica.

Segundo o analista de Relacionamento com o Cliente do Sebrae, Ivan Tonet, dois terços dos brasileiros estão conectados a alguma mídia social e o pequeno negócio pode se valer dessa realidade para alcançar o cliente de forma rápida, eficaz e próxima. “Fazer mídia e manter um relacionamento por meio das redes sociais é muito mais barato e acessível. A comunicação digital permite segmentar o seu público e possibilita que a marca transmita sua mensagem assertiva.

Veja o que fazer


1) Saiba usar cada canal de comunicação
É fundamental entender a particularidade de cada rede social para usá-las da melhor forma

 

 

 

Facebook é a presença da empresa, construção de imagem e do relacionamento, por meio de interação com os fãs


Instagram mostra o cotidiano por meio de fotos e vídeos curtos, mostrando muitas vezes o que está por trás das cortinas, ou seja, o que o cliente não vê no dia a dia.


Twitter é melhor utilizado para conteúdos atuais e curtos


WhatsApp é o canal que aproxima o empreendedor do cliente de forma mais relacional, por isso deve ser usado de forma consciente e não invasiva. É possível convidar clientes de outras redes para terem mais explicações via WhatsApp e deve forma permitir uma negociação mais personalizada.

2) Comunicação de qualidade
É importante que o pequeno negócio esteja atento ao conteúdo que será gerado e que adeque a comunicação ao seu público. Utilizar fotos e materiais de boa qualidade agregam e dão mais visibilidade à página da empresa na internet, tornando a comunicação mais assertiva. Portanto, é crucial investir em interatividade e criatividade de forma a gerar engajamento e interação com o cliente.

3) Canais de venda
Não é imprescindível ter um e-commerce. O empreendedor deve avaliar a real necessidade e a viabilidade de desenvolver esse canal de vendas. Cada alternativa tem uma finalidade e gera uma oportunidade específica, mas também traz o ônus de desenvolvimento de um sistema de gestão. Então, o empresário deve analisar o que é mais interessante de acordo com a sua realidade, já que é possível fazer a comercialização de produtos por meio das redes sociais. É possível, por exemplo, divulgar pelo Instagram, ter um canal de comunicação por meio do WhatsApp e ter um meio de pagamento online.

4) Gestão
Existem várias ferramentas que podem ser utilizadas para realizar a gestão das redes sociais da empresa para, por exemplo, programar postagens, acompanhar métricas, ver seguidores e engajamentos. Segundo o analista do Sebrae, é interessante ter perfis empresariais para acompanhar a evolução de seguidores, alcance da página, entre outros pontos. Assim, o empreendedor pode fazer uma gestão mais assertiva.

5) Público
É fundamental definir o perfil do público-alvo que se pretende atingir para que seja feito um direcionamento da comunicação. As redes sociais permitem que as informações sejam direcionadas, de modo 100% preciso, para um público específico – diferente de outros canais de comunicação que falam com um público geral. Vale também impulsionar/pagar posts patrocinados, que permitem direcionar a mensagem a um público maior, o que não seria possível de forma orgânica, ou mesmo direcionar uma comunicação para um público especifico, sem que apareça na linha do tempo do seu perfil, o chamado dark.


Deixe seu comentário