As micro e pequenas empresas (MPE) no Estado de Goiás geraram, nos primeiros quatro meses do ano, 15.443 novos postos de trabalho. Na relação do número de MPE e saldo de empregabilidade, Goiás ocupa a terceira posição no ranking dos Estados que mais geraram empregos no setor, atrás apenas do Maranhão e do Mato Grosso.

Os dados são do levantamento realizado pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), baseado nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia. De acordo com a pesquisa, os pequenos negócios em Goiás geraram, somente em abril, 2.247 empregos formais, 71% a mais que no mês anterior, que contabilizou 1.312 postos. Em comparação com as médias e grandes empresas (MGE), as MPE geraram 150% a mais de vagas no acumulado do primeiro quadrimestre de 2019. As MGE goianas criaram apenas 6.171 empregos
De janeiro a abril de 2019, o setor de Serviços foi o que mais empregou, tendo um acumulado de 9.162 empregos; seguido da Agropecuária, gerando 3.283 novos postos de trabalho; e a Indústria, com 1.949. No mês de abril, segundo aponta o levantamento, o Setor de Serviço continuou liderando a empregabilidade, gerando 1.629 empregos, a Construção Civil aparece em segundo lugar no ranking com 1.014.

Brasil

No Brasil, as MPE foram responsáveis pela geração de quase 300 mil novos empregos nos primeiros quatro meses de 2019. As micro e pequenas empresas do Estado de São Paulo lideraram a geração de empregos no país no mês de abril de 2019, respondendo pela geração de 29,3 mil postos de trabalho e foram acompanhadas pelas MPE do Estado de Minas Gerais com geração de 14,7 mil empregos formais.

No acumulado do primeiro quadrimestre do ano, as MPE do setor de Serviços capitanearam a geração de empregos, com um saldo de 193 mil novos postos de trabalho, 69% do total de empregos gerados nos primeiros quatro meses deste ano.


Deixe seu comentário