Antonio Firmino: “Nossa meta é chegar a 100 mil copos/dia comercializadas até o fim do ano. A capacidade instalada é de 140 mil unidades/dia.

De olho na diversificação de seus negócios, a NatuCopos, nova empresa do grupo da Gráfica da Família, começa sua produção de copos e pratos biodegradáveis, em Nerópolis. Para isso, adquiriu maquinário da também goiana Artecoop e espera chegar a 100 mil unidades/dia comercializadas até o fim do ano. A capacidade instalada é de 140 mil unidades/dia.

Especializada na produção de impressões para embalagens de alimentos, a Gráfica da Família também busca driblar os impactos das mídias sociais sobre o negócio. “Hoje, quase ninguém faz impressão para divulgar um evento, vai tudo como peça digital nas redes sociais. Então, vimos nesse negócio de materiais biodegradáveis uma boa oportunidade, porque ele envolve impressão também”, diz Antonio Firmino Filho, proprietário da empresa que começou imprimindo cartelas para alho em Nerópolis.

Os copos e pratos são impressos em uma folha de material especial e levam camadas de tinta nos adornos gráficos em diferentes modelos. Atualmente, 80% do material é biodegradável, índice que chegará a 100% até o fim do ano, explica Firmino. O apelo de sustentabilidade ambiental completa a motivação do negócio para a Gráfica da Família. Um copo plástico leva 400 anos para se decompor, enquanto os novos materiais precisam de 20 anos para se desintegrar na natureza.

As primeiras entregas já começaram, atendendo à carteira de clientes da gráfica e da própria Artecoop, marca que a Gráfica da Família vai trocar por NatuCopos, numa primeira exibição pública durante a ExpoNerópolis, feira da indústria, comércio, serviços e produtos agropecuários que a cidade sedia de 16 a 19 deste mês de maio. Os copos são feitos nos tamanhos de 200 ml e 330 ml, os pratos têm 18 cm de diâmetro. A intenção da empresa é ampliar também o portfólio dessas medidas.

As primeiras remessas dos utensílios estão indo para Brasília, Ceará e Goiânia. A empresa já prospecta clientes em Palmas (TO) e espera conquistar primeiro a própria clientela da gráfica, espalhada por 17 Estados brasileiros. Com 23 anos de história e duas sedes, sendo a última construída para abrigar as máquinas dos copos e pratos, a Gráfica da Família conta com 38 funcionários, além de Antonio Firmino, sua esposa Maria Firmino, filhos e netos.

Início pelo alho

A história do paraibano Antonio Firmino Filho se confunde com a cultura do alho em Nerópolis e região. Há 31 anos, vindo do Rio de Janeiro, ele se radicou na cidade depois de enxergar futuro promissor na venda do alho. Montou uma barraquinha à beira da rodovia que corta a cidade e vendia o bulbo trazido de Inhumas. “Nos primeiros dias, não faturei nem para o café da família. Mas não desisti”, conta.

Para aumentar o apelo junto ao consumidor, passou a vender o alho em cartelas e foi aí que um novo negócio se revelou ao empresário, sempre auxiliado pela família. “Não havia quem imprimisse as cartelas de alho da forma que eu queria, aí o jeito foi comprar uma máquina impressora para fazer nós mesmos esse trabalho”, diz contando o início da história da Gráfica da Família, nos anos de 1990.

Pouco depois deixou a venda do alho para se concentrar na gráfica, que passou a atender o mercado de embalagens para o alho, expandindo-se em seguida para outros gêneros alimentícios. Hoje, imprimir rótulos para alimentos diversos segue um dos principais negócios da gráfica, que agora ganha a companhia dos copos e pratos biodegradáveis nas máquinas da empresa familiar.


Deixe seu comentário

2 comments

  1. JAMIL PEREIRA DE OLIVEIRA Responder

    Conhecemos a história dessa família que aqui em Nerópolis chegaram, na busca de um sonho, e com muito trabalho, fé e simplicidade chegaram a esse nível de empreendedorismo, que sob a batuta de Antonio Firmino a família unida prospecta agora uma nova fase.
    Parabéns a todos…

    São casos de sucesso que a comunidade Neropolina tem para contar história.

  2. Prof. Francisco Lopes de Araújo Responder

    Nerópolis mostra que independente da falta de interesse do poder público local é capaz de realizar, gerar postos de trabalhos e impostos.
    O Senhor Antônio Firmino é um grande exemplo de empreendedor, com sua família emprega quase uma centena de pais e mães de família e tem um compromisso com o futuro de nosso planeta ao se preocupar em lançar um produto que não agride a natureza.