Empresário sul-coreano Park Jong-Bok e o governador Ronaldo Caiado se cumprimentam durante solenidade de assinatura da carta de intenção para a instalação da maior usina fotovoltaica do mundo em Goiás

A maior usina fotovoltaica do mundo será instalada em São João d´Aliança, no Nordeste do Estado, pelas empresas  sul-coreanas KSB e EnspireGroup  que irão investir  US$ 2 bilhões (aproximadamente R$ 8 bilhões) e  gerar mil empregos diretos. A usina deverá produzir 600 MW de energia, e superando a usina Parque Solar Nova Olinda, no Piauí, que gera 290 MW,  e a usina Chinesa, considerada a maior do mundo, com produção equivalente a 500 MW.

A carta de intenção para a implantação do empreendimento foi assinada nesta sexta-feira (25) pelo governador Ronaldo Caiado, pelo empresário sul-coreano Park Jong-Bok e o secretário de Desenvolvimento Econômico e Inovação de Goiás, Adriano da Rocha Lima. O evento aconteceu no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, em Goiânia.

“Depois que recebi tantas boas notícias do novo governador, não tive como não vir de novo para Goiás. Hoje já pude conhecer a área e, além disso, em março ou abril vou trazer outro investidor, o presidente da EnspireGroup,  para uma audiência com o presidente Jair Bolsonaro. Vamos dar início ao nosso projeto o mais rápido possível e gostaria de convidá-lo para estar presente neste encontro, junto com a sua equipe”, completou, depois de se manifestar decepcionado por não ter sido recebido pelo governo passado.

Caiado deixou evidente o interesse do Estado em abrigar a usina e se colocou à disposição da comitiva para dar continuidade ao acordo. “Tenham a certeza que vocês não vão precisar aguardar nenhum minuto para falar com o governador e com a equipe de secretários. Nosso governo é de fazer e trabalhar. O goiano tem um respeito enorme por toda tecnologia produzida por vocês, responsável por melhorar a qualidade de vida das pessoas pelo mundo”, revelou o governador.

Mão de obra

O empresário exaltou a qualidade da mão de obra brasileira como grande aliada para a instalação da usina. “Não tenho dúvidas de que nós temos a melhor tecnologia para fazer este tipo de projeto. A mão de obra e todos que irão administrar o projeto serão os brasileiros. Vamos abrir mais um leque de empregos no país. O Brasil poderá exportar essa tecnologia, made in Brasil, para toda a América Latina. Não serão produtos coreanos, serão produtos brasileiros com tecnologia coreana”, disse.

O secretário Adriano da Rocha Lima apontou a oportunidade como uma válvula de desenvolvimento para a região que, apesar do IDH baixo, tem uma das mais privilegiadas regiões de produção de energia solar do país. Além da instalação da usina, Adriano revelou que a abertura de uma fábrica para a produção das placas fotovoltaicas também deve contribuir para o aquecimento econômico do Nordeste do Estado. De acordo com o secretário, o terreno de quase 2 mil hectares atende todas as características necessárias para a instalação da usina.

Complexo turístico

O empresário anunciou outro grande projeto do grupo para a região. A ideia é construir um complexo turístico de referência nacional, que abrigue atividades de lazer e tenha condições de receber turistas de todo o país. O investidor enfatizou também que a própria usina já se transformará em uma atração aos visitantes do nordeste goiano.

“O Nordeste de Goiás  vai virar uma área com estrutura instalada, um ponto de referência tecnológica, com uma empresa de ponta produzindo placas fotovoltaicas. A extensão do projeto poderá ainda se transformar numa área turística, é um momento inédito em Goiás”, pontuou Caiado, ao comemorar o anúncio do projeto turístico.


Deixe seu comentário

1 comment

  1. Sergio de jesus suknin kim Responder

    Esse projeto tem muito à somar para o crescimeto do Estado de Goias. Quero saber como enviar currículo?