A baixa qualificação em gestão empresarial é um dos principais entraves para a abertura e a sobrevivência de um negócio em Goiás. É o que aponta a lista das seis principais dificuldades elaborada pelo analista Víctor Antônio Costa, do Sebrae Goiás, a pedido do EMPREENDER EM GOIÁS, que também indicou as soluções para todas elas.

Para o analista, além da dificuldade de acesso ao crédito, burocracia, excesso de impostos e outros obstáculos, o principal problema é de gestão. “A pessoa acha que, só pelo fato de ter experiência de vida ou de trabalho, está capacitada para abrir e cuidar do negócio. O empresário precisa ter conhecimento de gestão de financeira, marketing, estoque e atendimento aos clientes”, frisa.

Victor Costa lembra que a capacitação do empresário é fundamental para o sucesso de qualquer empresa. Ser MPE significa criar oportunidades, trazer inovação, gerar empregos, renda e riqueza.

Os pequenos negócios respondem por 27% do Produto Interno Bruto (PIB), e, juntas, as quase 12 milhões de micro e pequenas empresas representam as principais geradoras de empregos e de riqueza no Brasil. Veja a lista: 


1 – LOGÍSTICA
Além da malha viária deficitária, existe uma grande distância entre o local do empreendimento e os grandes centros de distribuição, pois nosso país possui dimensões continentais. Por isso, o planejamento das compras, vendas, produção e estocagem são fundamentais.

SOLUÇÃO
Uma saída interessante para o empreendedor driblar as dificuldades logísticas é a contratação de empresas especializadas em serviços logísticos. Com isso, o empreendimento reduz custos e se torna mais competitivo no mercado. Porém, é preciso ter muito cuidado quando da contratação desta empresa, pois as atividades dela estarão vinculadas à imagem do seu empreendimento. Ou seja, deve-se cercar de garantias quanto a inúmeros fatores, dentre eles: cuidado com as mercadorias, pessoal qualificado, cumprimento dos prazos e ser idônea, dentre outros.


2 – ACESSO AO CRÉDITO
O crédito empresarial também é um entrave para o início das atividades. Como na maioria das vezes o empresário necessita financiar a venda para seus clientes, ter um bom capital de giro é fundamental. Porém, ter acesso ao crédito não é algo fácil. Existem algumas questões limitantes, que são: falta de garantias, problemas na documentação e pouco tempo de relacionamento ou baixa movimentação.

SOLUÇÃO
Existem algumas questões que facilitam a empresa a ter acesso ao crédito empresarial, que são: empresa operando no azul, modelo de negócio competitivo, bom currículo do gestor da empresa, regularidade fiscal, tempo na atividade, garantias reais de pagamento e plano de negócio.


3 – PESO DA BUROCRACIA
Além de muito dispendiosa, a burocracia demanda um tempo enorme ao empreendedor. Além de gerar um desgaste físico, percorrer diversos órgãos e repartições municipais, estaduais e federais causa enorme confusão e estresse.

SOLUÇÃO
Importante entendermos que as questões burocráticas do país são regidas por leis. A transformação deste ambiente só ocorrerá de verdade quando houver uma reforma profunda, que traga a modernidade e agilidade que os tempos atuais exigem. Porém, podemos dar duas dicas importantes, são elas: uso da tecnologia como meio facilitador e ter uma assessoria especializada com competência comprovada.


4 – BAIXA QUALIFICAÇÃO DO EMPREENDEDOR EM GESTÃO EMPRESARIAL
Não basta ser um ótimo cozinheiro para ser um empreendedor de sucesso no ramo alimentício. É necessário conhecer os processos financeiros, organizacionais e ainda liderar sua equipe de forma eficiente, para isso, será necessário muito planejamento e organização.

SOLUÇÃO
Empreendedores que fazem a diferença são bem preparados. Algumas pessoas dizem que eles tiveram sorte, mas na verdade eles se qualificaram muito bem para aproveitar as oportunidades. Vamos aqui fazer uma reflexão: como vou ter uma visão estratégica e saber orientar se não tenho o conhecimento adequado para isso? Então se capacitem, procurem entidades que apoiam os empreendedores (o Sebrae é um ótimo parceiro nessas horas) e tenham muita “sorte” nos negócios.


5 – CARGA TRIBUTÁRIA
A legislação fiscal e tributária é muito pesada e confusa. São tantas obrigações, que o empreendedor pode ter problemas em sua operação por um descuido ou até desconhecimento.
Exemplo disso é a forma de cobrança do ICMS nos Estados brasileiros, que difere de um para o outro. Uma dica é ter uma assessoria tributária confiável e competente.

SOLUÇÃO
A melhor forma de reduzir custos com tributação é realizar um planejamento tributário, pois esta é uma ferramenta muito eficiente e que traz ótimos resultados. Porém, o empreendedor deverá ter atenção aos seguintes pontos: planejamento tributário é uma ação preventiva, ações que não firam a legalidade e contratar uma consultoria tributária especializada.


6 – MÃO DE OBRA
Ter uma mão de obra qualificada é outro desafio enfrentado pelo empreendedor. A qualificação é insuficiente em todos os níveis, começando pela produção, atendimento, entrega e pós-venda. Para enfrentar este problema o empreendedor deve buscar apoio em entidades reconhecidas, como por exemplo: Sebrae, Senac, Senai, etc.

SOLUÇÃO
Uma boa saída é a retenção de talentos. Na maioria das vezes, capacitar novos colaboradores é muito mais caro que mantê-los, além desta, as seguintes questões também são importantes: uma boa seleção quando da contratação, treinamentos constantes de aperfeiçoamento e processo definidos (ter escrito exatamente o que deve ser feito).

Fonte: Sebrae Goiás


Deixe seu comentário