Enel garante que já investiu R$ 5 bi em Goiás; deputados questionam aonde

Enel garante que já investiu R$ 5 bi em Goiás; deputados questionam aonde

16 de novembro de 2021

A distribuidora de energia elétrica Enel afirmou hoje (16/11) na Assembleia Legislativa que investiu R$ 5 bilhões em Goiás desde que ganhou o leilão de privatização da Celg D. “Fizemos uma transformação profunda do sistema elétrico de Goiás de acordo com um plano de investimento superior a R$ 5 bilhões, 232% se comparado com os investimentos feitos nos últimos 15 anos tanto pelo Estado, quanto pelo governo federal”, afirmou o presidente José Nunes. Mas, deputados presentes questionaram onde foram realizados esses investimentos, uma vez que a população goiana ainda se queixa muito da qualidade da energia elétrica no Estado.

“A Enel não tem mão de obra suficiente para atender o cidadão. Não adianta falar de investimento se a manutenção da rede elétrica não é feita. O quadro técnico dos prestadores de serviço foi desfeito. Profissionais que conheciam as áreas rurais foram substituídos por técnicos de outros estados, mas eles não conhecem a região. Isso atrasa o atendimento e deixa o contribuinte no escuro por até cinco dias”, criticou o deputado Amauri Ribeiro (Patriota). “Essa melhoria que foi apresentada aqui não chega ao consumidor. O atendimento não funciona e nós pagamos um preço alto por essa energia”, completou.

O deputado-delegado Humberto Teófilo criticou as constantes quedas de energia em Goiás, especialmente em período chuvoso, e da demora na análise de requerimentos de ressarcimento de prejuízos (queima de equipamentos) por queda de energia. O deputado Rafael Gouveia (PP) cobrou a necessidade de garantir a estabilidade energética e o restabelecimento da rede elétrica em caráter emergencial. “Não dá para entender porque uma cidade inteira fica sem energia e leva mais de 24 dias para trocar um poste”, questionou.

O deputado Coronel Adailton (PP) disse que o serviço tem de chegar no interior, na zona rural, especialmente aos pequenos e novos bairros. “Precisa expandir as redes urbanas para melhor atender essa gente que vive nos bairros periféricos. O sistema não está funcionando e a Enel não reconhece o problema”, afirmou. Já o deputado Alysson Lima (Solidariedade) lembrou que integrou a CPI da Enel e que acompanhou de perto a relação da empresa com o consumidor e que, desde então, a impressão é negativa. “Em 2019 já tínhamos uma impressão negativa em relação à empresa e da forma como a Enel trata o consumidor. O que vocês mostraram aqui é folclórico”, disse.

O presidente da Enel, José Nunes disse que entende a indignação dos parlamentares e que tem consciência no muito que tem a ser feito. Afirmou que houve aumento de 80% no número de profissionais contratados e estruturou 24 centros de treinamento para aperfeiçoar a mão de obra. Quanto às adversidades climáticas, José Nunes disse que no período de chuva a Enel ainda precisa evoluir. Quanto à religação de urgência, precisa ser avaliada. “Entendo quando vocês dizem que não chegou na ponta, mas chegaremos lá. Teremos em Goiás um destaque como uma das melhores distribuidoras, o caminho é árduo, mas chegaremos lá”, afirmou.

Leia também: Lucro da Enel em Goiás cresce 523% em 2020

O portal Empreender em Goiás é uma iniciativa privada com a missão de incentivar a abertura e o crescimento de empresas. Contamos com os melhores parceiros para gerarmos notícias, análises, pesquisas, serviços e oportunidades de negócios.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.