Setor de serviços goiano cresce, indústria e comércio têm queda

Setor de serviços goiano cresce, indústria e comércio têm queda

12 de agosto de 2021

O volume de serviços prestados em Goiás avançou 0,8% em junho frente a maio, sendo o terceiro crescimento consecutivo e acumulando alta de 6,1% nos últimos 3 meses. Com isso, o setor de serviços amplia o distanciamento em relação ao nível pré-pandemia, ficando 13% acima de fevereiro de 2020, e alcança patamar mais elevado desde junho de 2016.

Quando comparado com junho de 2020, o volume de serviços em Goiás subiu 24,7%, sendo o quinto crescimento consecutivo. Conforme dados do IBGE divulgados nesta quinta-feira, o setor vem demonstrando recuperação frente aos impactos que a pandemia de Covid-19 causou. Tanto em nível estadual, quanto nacional, o acumulado no ano de 2021 é positivo, sendo 13,9% para Goiás e 9,5% para Brasil. Já o acumulado nos últimos 12 meses foi de 3,4% para Goiás e 0,4% para o Brasil.

Em Goiás, o resultado positivo foi puxado pelos serviços prestados às famílias, atividade que registrou crescimento de 154,5% em relação a junho de 2020. Em seguida, destaque para os serviços profissionais, administrativos e complementares, com alta de 24,8%. Já o setor de turismo continua em alta, registrando crescimento de 134,7% em comparação a junho de 2020 e 7,9% em junho em comparação a maio.

Produção industrial
Após avançar 4% entre abril e maio, conforme o IBGE, a produção industrial goiana caiu 1,1% em junho em relação a maio último. Essa é a terceira queda ocorrida em 2021. Na comparação com o mesmo mês do ano passador, a produção industrial registrou queda de 4,2%, sendo a quinta ocorrida no ano. Assim, o acumulado em 2021 atinge -4,2%, e nos últimos doze meses chega a -1,6%.

A retração de 4,2% da produção industrial goiana em junho de 2021 em relação ao mesmo mês de 2020 foi impulsionada pela queda na produção do setor de metalurgia (-28,9%), a fabricação de produtos famorquímicos e farmacêuticos (-28,1%) e a fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos (-11,4%). A queda só não foi maior porque a fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias subiu 93,9% em junho, na comparação com o mesmo mês do ano anterior.

Comércio
Já o volume de vendas do comércio varejista goiano recuou 0,9% em junho, quando comparado com maio deste ano. É a segunda queda consecutiva no ano. Em nível nacional, foi registrada queda de 1,7%, na mesma base de comparação. No entanto, de acordo com o IBGE, quando comparados junho de 2021 e junho de 2020, foi registrado aumento de 4,8% no volume de vendas do comércio varejista goiano, sendo a terceira alta consecutiva. Essa série de aumentos ocorre principalmente porque os mesmos meses de 2020 corresponderam a um dos piores períodos para o comércio goiano devido à pandemia de Covid-19. Esses resultados levam ao crescimento acumulado de 4,4% no ano e de 2,7% nos últimos 12 meses.

No comércio varejista ampliado goiano (que inclui as atividades de veículos, motos, partes e peças e de material de construção), o volume de vendas permaneceu estável com variação de 0,0% em junho de 2021, quando comparado com o mês anterior. Já quando comparado com mesmo mês do ano anterior, observa-se um aumento de 21,5%, sendo o quinto mês consecutivo que registrou aumento. Assim, o setor já acumula um crescimento de 15,2% no ano de 2021.

O portal Empreender em Goiás é uma iniciativa privada com a missão de incentivar a abertura e o crescimento de empresas. Contamos com os melhores parceiros para gerarmos notícias, análises, pesquisas, serviços e oportunidades de negócios.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.