Confiança no novo ciclo

Confiança no novo ciclo

25 de junho de 2021

A retomada econômica está em pleno curso. Otimismo excessivo? Aposta sem base na realidade? Nada disso. Trata-se de uma constatação baseada emnúmeros sólidos. O que nos leva a esta constatação última edição da Sondagem  das Micro e Pequenas Empresas (MPE), realizada pelo Sebrae em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), divulgada no dia 18 de junho. Resultado revelou que, pelo segundo mês consecutivo (abril e maio), ocorreu aumento na confiança dos pequenos negócios, força motriz da nossa economia.

Deve-se lembrar que, no mês de março, esse mesmo índice sofreu uma forte queda. Mas se recuperou logo na sequência e atingiu em maio (subiu 5,3 pontos) o patamar de 93,5 pontos.

Vale destacar também que este é o maior nível desde dezembro do ano passado. O destaque fica por conta dos setores da indústria de transformação, comércio e dos serviços em geral.

Esse cenário positivo está ancorado, entre outros motivos, no fato de que as medidas restritivas decorrentes da pandemia estão sendo, gradualmente, flexibilizadas.

Outro fator que pesa nesse desempenho: vislumbra-se, de forma bastante concreta, a possiblidade de aumentar consideravelmente a oferta de vacinas para a população em geral. Isto tem injetado boa dose de otimismo nos agentes econômicos em geral, e nos pequenos negócios, em particular.

Mas devemos nos deter um pouco mais na análise dos dados da sondagem das MPE. Um dos tópicos que mais chama atenção é que o índice de confiança da indústria, no mês de maio, está num patamar mais elevado que os demais setores (97,7 pontos). Ele subiu 1,9 ponto percentual, ao passo que o segmento de serviços subiu 7 pontos e  o comércio subiu 10,6 pontos.

Essa trajetória é uma sinalização muito positiva para os demais setores de nossa economia.

Por que isso? No dia 14 de junho o Boletim Focus do Banco Central (BC) aumentou (pela 8ª vez seguida) a projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para 4,85%.

Essa é uma outra indicação muito importante dessa expectativa da retomada econômica. E a isso vem se somar, ainda, o que acontece no cenário externo: as agências internacionais estão projetando crescimento do PIB global, sobretudo dos EUA e da Europa.  

Todo esse cenário que está sendo desenhado ganhará ainda mais consistência com a continuidade dos programas de manutenção de emprego, auxílio emergencial às micro e pequenas empresas e trabalhadores, ampliação do programa de vacinação e  novos programas voltados para as MPEs.

Com tudo isso somado, não há dúvida de que os próximos meses prometem ser de continuidade do crescimento econômico.

Poderemos, assim, retomar em definitivo um novo ciclo de crescimento e  prosperidade para todos, em especial, para os pequenos empreendedores que  respondem por cerca de 60% dos empregos formais gerados no país. E esses bons  frutos, certamente serão colhidos no estado de Goiás.

Antônio Carlos de Souza Lima Neto é Diretor Superintendente do Sebrae Goiás

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.