Vendas do comércio goiano têm recuperação histórica

Vendas do comércio goiano têm recuperação histórica

8 de junho de 2021

O setor de confecção e moda é um dos que apresentam maior recuperação em Goiás

As vendas do comércio varejista goiano apresentaram crescimento de 27,7% em abril desde ano comparado com o mesmo mês de 2020, sendo o maior crescimento da série histórica, iniciada em janeiro de 2001, e de 6,5% comparado com março deste ano, sendo o melhor resultado desde junho de 2020, período em que o comércio ainda se recuperava dos impactos da pandemia de Covid-19 e as vendas foram impactadas positivamente pelo auxílio emergencial do governo federal. As informações foram divulgadas hoje (08/06) pelo IBGE. É a primeira vez que o acumulado dos últimos 12 meses apresenta uma taxa positiva (0,6%) desde o início da pandemia, quando em abril do ano passado foi um dos piores meses para o comércio goiano devido ao decreto que instituiu o primeiro lockdown no Estado.

A recuperação do comércio goiano foi quase cinco vezes maior do que o do nacional, que apresentou crescimento de 1,8% em abril comparado com as vendas de março. Comparando abril deste ano com o de 2020, o volume de vendas do varejo nacional apresentou crescimento de 23,8%, sendo também a maior variação da série histórica.

No comércio varejista ampliado goiano (que inclui as atividades de Veículos, motos, partes e peças e de Material de construção) o volume de vendas cresceu 9,9% em abril quando comparado com março do mesmo ano. Já quando comparado com abril de 2020, o crescimento foi de impressionantes 51,0%, o maior da série histórica. Em nível nacional, houve avanço de 41%.

O crescimento recorde pode ser explicado pois nove das dez atividades pesquisadas tiveram crescimento significativo na mesma base de comparação. O setor que apresentou o maior crescimento foi o de tecidos, vestuário e calçados (784,7%). Esse crescimento recorde se relaciona ao fato de que em abril de 2020 praticamente não havia lojas de roupas e sapatos abertas devido a medidas de isolamento social. Outro setor de destaque foi o de livros, jornais, revistas e papelaria (145,1%), setor que vinha acumulando quedas desde março de 2020.

Outro setor de destaque é o de veículos e motos, partes e peças (114,3%), o maior responsável pelo crescimento recorde do comércio varejista, e apresenta o terceiro crescimento consecutivo, acumulando no ano 25,2% e nos últimos 12 meses 3,1%. O único setor que apresentou queda em abril de 2021 foi o de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-9,4%). Enquanto diversas lojas de segmentos específicos estavam fechadas em abril de 2020, esse setor foi um dos que menos sofreu impacto em relação as medidas de isolamento social, concentrando as compras das famílias. Com a reabertura das demais lojas, as famílias consomem em outros segmentos e o setor deixa de concentrar o volume de vendas.

O portal Empreender em Goiás é uma iniciativa privada com a missão de incentivar a abertura e o crescimento de empresas. Contamos com os melhores parceiros para gerarmos notícias, análises, pesquisas, serviços e oportunidades de negócios.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.