Olive quer abrir 230 franquias e mira o mercado externo

Olive quer abrir 230 franquias e mira o mercado externo

14 de maio de 2021

Marcelo Oliveira deixou carreira de músico para criar a Olive há dez anos em Goiás

A Olive, empresa de calçados femininos que surgiu no mercado goiano há 10 anos, graças a ousadia dos empreendedores Marcelo e Lilian Oliveira, espera abrir 230 franquias, a médio prazo, em todo o Brasil e alcançar 3% do market share. Além disso, os empresários não abrem mão da internacionalização da marca, que já está nas vitrines multimarcas de vários estados norte-americanos e do Brasil.


Com a produção atual de 10 mil calçados/mês de couro, com criação exclusiva da própria Lilian, fabricados na modalidade facção, em três indústrias no Rio Grande do Sul, – região tradicional e muito respeitada no mundo pela qualidade dos calçados femininos – a Olive esperar vender mais de 20 mil pares de sapatos por ano, para cada uma das 230 franquias a serem abertas. A empresa já tem dois franqueados: um em Santo André (SP) e o outro em Porto Velho (Rondônia). Também será aberta uma loja de varejo num shopping em Goiânia e outra conceito na Rua 9, Setor Marista, além de manter o showroom, na Rua 142, também no mesmo setor.


A empresa tem hoje um mix de 160 produtos, sempre voltados para o público consumidor adulto do sexo feminino, que vão de sapatilhas, sandálias de plataforma, rasteirinhas, de saltos de vários tamanhos, botas, coturnos, tênis e outros.


Para promover e garantir o sucesso da marca, a empresa tem forte presença em redes sociais e parcerias com influencers como Andressa Suita, Laila Monteiro (a embaixatriz da marca), Flávia Viana, Flávia Pavanelli e outros artistas e modelos de projeção nacional. O forte das vendas, segundo Marcelo Oliveira, é através da internet, sobretudo nesta pandemia, quando as pessoas tiveram que reduzir a circulação, até mesmo para fazer negócios.

Lillian Oliveira, sócia-proprietária da empresa goiana de calçados

Começou do zero
A Olive é uma marca de calçados femininos que começou, literalmente, do zero em Goiânia. Marcelo Oliveira era músico de uma banda e tocava em barzinhos de segunda a segunda. Sua esposa Lilian sempre trabalhou no segmento de moda, era vendedora de loja. Tudo começou quando Marcelo parou de tocar e Lilian ficou desempregada. O casal precisava gerar renda e a irmã de Lilian deu a ideia para o casal comprar sapatilhas para revender.

Eles foram a pé com uma maleta vermelha até a distribuidora e fizeram a primeira compra de calçados com dinheiro emprestado pelo pai de Lilian.
A primeira compra foi inteiramente revendida à nota promissória, apostada na negociação informal entre amigos. O casal pegou mais dinheiro emprestado com o pai de Lilian, além do carro, fez outra compra e saiu vendendo de porta em porta pelos bairros de Goiânia. “Colocamos uma meta de vender 12 sapatilhas por dia. Fomos aumentando a meta até que chegou um momento que, já com carro próprio, estávamos vendendo mais de 900 sapatos, por mês”, contou Marcelo.


Nove meses após iniciar a primeira batalha, o casal teve a ideia de montar uma loja atacadista com a marca Olive. Para dar um segundo passo, já vislumbrando o crescimento da empresa, os empreendedores buscaram empréstimo de R$ 70 mil num banco oficia, para passarem a produzir os próprios calçados. Porém, o projeto fracassou porque adquiriram matéria-prima errada. Por isto, decidiram terceirizar a fabricação, o que garante até hoje o sucesso da marca e a expansão dos horizontes.

O portal Empreender em Goiás é uma iniciativa privada com a missão de incentivar a abertura e o crescimento de empresas. Contamos com os melhores parceiros para gerarmos notícias, análises, pesquisas, serviços e oportunidades de negócios.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.