As principais cooperativas de crédito de Goiás vão oferecer a partir desta semana condições especiais de pagamento ou financiamento às empresas cooperadas que vierem a sofrer maior impacto econômico com a crise causada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19) no Brasil. Além de prorrogar os prazos de pagamento de financiamentos e empréstimos, a depender de cada caso, está em estudo ofertar linhas especiais de crédito com carência e prazo de pagamento maiores.

O Banco Cooperativo do Brasil (Bancoob) vai disponibilizar até R$ 500 milhões para estas novas operações das cooperativas de crédito no País. O setor prevê que nas próximas duas semanas será necessário ofertar condições diferenciadas para as empresas cooperadas que estão entre os segmentos mais atingidos com as medidas de restrição impostas por autoridades públicas para evitar maior propagação do coronavírus.

“Estamos nos preparando para atender uma demanda que certamente vai existir nas próximas semanas. Todos nós apoiamos as medidas que vêm sendo tomadas pelas autoridades do Estado e do governo federal, no objetivo de salvaguardar a população do coronavírus, mas sabemos que elas causarão impacto econômico. O nosso objetivo é oferecer apoio necessário aos cooperados, especialmente aqueles que atuam nos segmentos que vão sofrer os maiores impactos”, afirma o presidente do Sindicato e Organização das Cooperativas Brasileiras no Estado de Goiás (OCB-GO), Luís Alberto Pereira.

“As orientações do Banco Central permitem prorrogar vencimentos sem gerar aumento no perfil de risco do cliente, o que resultará em renegociações positivas pelas cooperativas de crédito, que são autônomas nas suas deliberações, junto aos cooperados. A Sicoob Secovicred decidiu que, ao invés de apenas prorrogar os vencimentos, vai também renegociar as dívidas dos cooperados em dificuldade de pagar as parcelas, alongando o prazo e reavaliando as taxas, com carência de um mês, para que estejam mais adequadas à sua nova capacidade financeira. Claro, isso será avaliado caso a caso”, afirma o presidente do Sicoob Goiás Central, Marcelo Baiocchi.

Presidente da Central Sicoob Uni, Clidenor Gomes Filho afirma que são duas linhas de atuação que a cooperativa de crédito vai atuar: alongamento dos prazos de pagamento de empréstimos e financiamentos atuais, com possibilidade também de redução das parcelas mensais, além de novas linhas de crédito com carência e prazo de pagamento maior.

“Na próxima semana já teremos alguns novos produtos financeiros na prateleira para atender os cooperados que mais necessitarão do nosso apoio”, diz. O Sicoob Uni possui cerca de 107 mil associados em Goiás, Tocantins, Minas Gerais, Espírito Santo, Amazonas, Roraima, Acre, Rondônia, São Paulo, Mato Grosso, Rio de Janeiro e Distrito Federal.

Presidente da Central Sicredi Brasil Central, Celso Ronaldo Figueira afirma que o mercado está sendo monitorado para avaliar quais serão as maiores demandas dos cooperados por apoio financeiro. “Ainda não identificamos demandas específicas de segmentos ou empresas impactadas pela crise, mas certamente elas existirão. Continuamos a oferecer nossas operações convencionais de crédito, mas também vamos avaliar casos específicos e pontuais que vierem a sofrer maior impacto em suas atividades por conta do coronavírus”, afirma.

Uma dessas avaliações será para empresas que têm financiamento ou empréstimo em dia, mas eventualmente necessitem prorrogar o pagamento de parcelas. Com 30 anos no mercado, a Central Sicredi Brasil Central possui mais de 270 mil cooperados em Goiás, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Bahia e Distrito Federal.

O Bancoob recomendou às todas cooperativas centrais e singulares de crédito do País a prorrogação dos vencimentos das operações de crédito nos segmentos mais impactados pela atual crise, após avaliação criteriosa de cada caso, fixando novos prazos de acordo com a capacidade de pagamento dos cooperados.

A Febraban tem recomendado carência de até 60 dias para pagamentos de empréstimos e financiamentos, desde que o tomador não apresentasse, anteriormente, problemas financeiros ou demonstrasse dificuldades para honrar os pagamentos nas novas condições pactuadas. O Bancoob também recomendou que as cooperativas avaliem a possibilidade de oferecer linhas de crédito em condições especiais de prazo e taxas.


Deixe seu comentário