O Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil cresceu 1,1% em 2019, comparado com o ano anterior, e totalizou R$ 7,3 trilhões. Os dados foram divulgados pelo IBGE. O resultado refletiu o desempenho das três atividades: agropecuária (1,3%), indústria (0,5%) e serviços (1,3%). Em decorrência deste crescimento, o PIB per capita alcançou R$ 34.533 (em valores correntes) em 2019, um avanço (em termos reais) de 0,3% em relação a 2018.

A variação da agropecuária no ano de 2019 decorreu do desempenho positivo tanto da agricultura quanto da pecuária, com destaque para o milho (23,6%), algodão (39,8%), laranja (5,6%) e feijão (2,2%). Na indústria, o destaque positivo foi o desempenho da atividade eletricidade e gás, água, esgoto, atividades de gestão de resíduos, que cresceu 1,9% em relação a 2018. Já o destaque negativo foi das indústrias extrativas, que sofreram queda de 1,1%.

A construção cresceu 1,6% no ano, sendo seu primeiro resultado positivo após cinco anos consecutivos de queda. As indústrias de Transformação, por sua vez, apresentaram estabilidade (0,1%). O resultado foi influenciado, principalmente, pelo crescimento da fabricação de produtos de metal, de produtos alimentícios, de bebidas e produtos derivados do petróleo.

As atividades que compõem o setor de serviços e apresentaram variação positiva foram: informação e comunicação (4,1%), atividades imobiliárias avançou (2,3%), comércio (1,8%), financeiras, de seguros e serviços relacionados (1%) e transporte, armazenagem e correio (0,2%). A atividade de administração, defesa, saúde e educação públicas e seguridade social se manteve estagnada em 2019.

A taxa de investimento em 2019 foi de 15,4% do PIB, acima do observado em 2018 (15,2%). Já a taxa de poupança foi de 12,2% (ante 12,4% em 2018). Já no quarto trimestre de 2019, na comparação com o trimestre imediatamente anterior (com ajuste sazonal), o PIB brasileiro cresceu 0,5%. Frente ao 4º trimestre de 2018, teve alta de 1,7%, o décimo-segundo resultado positivo consecutivo, após 11 trimestres de queda nesta base de comparação.


Deixe seu comentário