O Índice de Confiança do Empresário Industrial Goiano (ICEI-GO) de fevereiro de 2020 voltou ao patamar de dezembro do ano passado. Com aumento de 2,2 pontos na comparação com o mês anterior, o índice ficou em 64 pontos, de acordo com a Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg). Na comparação com fevereiro de 2019, o índice aumentou 0,5 ponto, lembrando que o índice varia de 0 a 100, e valores acima de 50 pontos sinalizam aumento na confiança empresarial.
A melhora na confiança foi acompanhada por todos os portes de empresas pesquisados, com destaque para as empresas de grande porte, cujo índice foi de 65,6 pontos, aumento de 3,4 na comparação com janeiro. As médias empresas aumentaram sua confiança em 1,5 ponto, e as pequenas empresas mantiveram sua confiança praticamente estável, em 62,3 pontos.

“A confiança do empresário industrial goiano vem apresentando trajetória oscilante. Uma melhora mais constante no índice tem sido impactada pelo cenário político regional. Ainda assim, os industriais goianos, confiando nas reformas estruturantes sinalizadas pelo governo federal, têm mantido suas expectativas quanto ao futuro próximo, o que tem segurado a confiança acima dos 50 pontos”, afirmou a assessora econômica da Fieg, Januária Guedes.

Dentre os componentes do ICEI da Fieg, o Indicador de Condições apresentou melhora tanto na comparação com o mês anterior, quanto com fevereiro de 2019. O indicador, que mede as condições atuais comparadas com os últimos seis meses, ficou em 56,9 pontos, com destaque para a melhora das condições da economia brasileira. Já o Indicador de Expectativas melhorou na comparação com janeiro, mas piorou frente a fevereiro de 2019. Ainda assim, o indicador ficou acima da linha divisória dos 50 pontos, em 67,5, o que revela empresários com boas perspectivas para o futuro próximo.

Aquecida
Conforme Sondagem Industrial da CNI divulgada nesta quinta-feira (20), a atividade industrial está mais aquecida neste início de ano, na comparação com os últimos quatro anos. O índice que mede a evolução da produção ficou em 49,9 pontos em janeiro, próximo à linha divisória de 50 pontos. Em dezembro de 2019, esse indicador foi de 43,8 pontos e, em janeiro do ano passado, de 49,3 pontos.Pela metodologia da pesquisa, valores acima de 50 pontos indicam aumento da produção e abaixo, queda da produção. O índice de evolução do emprego também mostrou estabilidade, ficando em 49,7 pontos, o mesmo registrado em janeiro do ano passado.

A pesquisa também revela que o índice de evolução do nível de estoques da indústria em relação ao planejado ficou em 49,1 pontos em janeiro. Esse foi o terceiro mês consecutivo em que o indicador ficou abaixo da linha divisória dos 50 pontos, mostrando que os estoques estão inferiores ao planejado pelos empresários. Com relação à utilização da capacidade instalada, o indicador alcançou 67% no mês de janeiro, o mesmo porcentual verificado em dezembro de 2019. Em janeiro do ano passado, o índice foi de 66%.


Deixe seu comentário