Sandro Mabel: “Nós (da Fieg) acreditamos na Enel”

Presidente da Enel em Goiás, José Luis Salas afirmou que a empresa investirá, nos próximos três anos, R$ 24 bilhões em suas unidades no Brasil, dos quais cerca de 17% em Goiás nos próximos quatro anos. “Assumimos um sistema que está cobrando o que deixou de ser investido nele durante os anos. Estamos investindo 3,5 vezes mais do que havia sido investido nos últimos dez anos. Estamos aumentando nossa capacidade e mudando toda a parte tecnológica e queremos que estes R$ 4 bilhões que investiremos nos próximos quatro anos fiquem em Goiás”, afirmou Salas.

O intuito da Enel é aumentar sua capacidade e mudar toda a parte tecnológica nos próximos três anos, com subestações, transformadores e equipamentos mais modernos, primando pela qualidade, segurança e capacitação de pessoal. As informações foram prestadas durante o 2º Encontro da Cadeia da Construção, realizado na Casa da Indústria, voltado aos empresários interessados em participar do Programa de Desenvolvimento de Fornecedores, por meio da parceria Fieg-Enel.

“Nós acreditamos na Enel e trabalhamos para formar alunos sob medida para nossos acionistas e para capacitar os melhores fornecedores para essa empresa, que adquiriu a sucateada Celg e traçou um grande plano de investimento em Goiás”, afirmou o presidente da Fieg, Sandro Mabel.

“A Enel tem um investimento enorme para fazer em Goiás. Para isso, precisamos preparar as indústrias goianas que fazem rede, subestações, que produzem insumos e serviços, de acordo com normas da ABNT e com normativo interno da companhia. Nosso desafio é capacitar essas empresas e seus trabalhadores para produzirem produtos e serviços que atendam a essas exigências. Assim, esses recursos vultuosos ficarão nas empresas goianas, gerando empregos aqui e não fora de Goiás”, salientou o presidente da Câmara da Indústria da Construção da Fieg (CIC), Sarkis Curi.

“A cadeia da construção vive um bom momento, em meio à crise que assola o País e que inibe negócios e reduz empregos. Dados divulgados nesta semana pelo IBGE revelam que a construção foi um dos setores que puxou o crescimento do Produto Interno Bruto do País. São sinais de uma retomada da economia, que vêm exatamente da construção civil”, completou Mabel.

O evento oportunizou aos empresários terem acesso a informações relevantes sobre as perspectivas de compras da Enel Goiás, sobre processo de qualificação e qualidade, além do case de sucesso da empresa goiana Tencel Engenharia. Também foram apresentados o Programa de Desenvolvimento de Fornecedores (PDF Goiás) e as soluções das entidades do Sistema Fieg (Sesi, Senai, IEL e ICQ Brasil). Ao final, foi realizada uma mesa redonda com técnicos da Enel e do Sistema Fieg para esclarecimento de dúvidas.


Deixe seu comentário