Hugo Garrote, diretor da SSA: “A meta da empresa é sempre manter o crescimento produtivo, de vendas e geração de empregos”

A São Salvador Alimentos S/A (SSA) foi reconhecida e premiada na categoria da melhor indústria de aves e suínos do País, no ranking Melhores do Agronegócio, da Revista Globo Rural. As empresas campeãs de 21 categorias do agronegócio brasileiro receberam a premiação em evento realizado ontem à noite (28/11), em São Paulo/SP. Com sede em Itaberaí/GO e mais conhecida no mercado pelas suas marcas SuperFrango e Boua, a SSA é uma das maiores produtoras de proteína animal do Brasil e a segunda maior de Goiás.

“Para nós, da SSA, é uma honra ser reconhecida como a melhor empresa de aves e suínos do País entre as 500 maiores empresas do agronegócio brasileiro. Primeiramente, agradecemos a Deus por essa conquista e também aos nossos colaboradores. Já participamos do anuário há algumas edições e ser agraciado com esse prêmio nos deixa muito felizes, pois reforça o nosso compromisso com os consumidores, parceiros e colaboradores”, afirma o diretor administrativo e financeiro, Hugo Garrote.

A SSA investiu nos últimos dez anos quase R$ 1 bilhão na expansão e modernização da sua produção. Somente na implantação da nova e moderna fábrica em Nova Veneza/GO, a 40 quilômetros de Goiânia, a empresa investirá o total de R$ 450 milhões. A fábrica deve ser inaugurada em março de 2020, com capacidade inicial para processar 60 mil aves/dia e capacidade máxima de 320 mil aves/dia. A nova fábrica em Nova Veneza é construída com recursos próprios e, antes mesmo de entrar em operação, gerou cerca de 1 mil novos empregos no município. A SSA emprega atualmente cerca de 7 mil trabalhadores, entre colaboradores diretos e terceirizados diretos.

Atualmente, a SSA comercializa seus produtos para mais de 24 mil clientes em 9 Estados e no Distrito Federal e exporta para mais de 65 países das Américas do Sul e Central, Europa, Ásia e África. A receita líquida em 2018 cresceu 19% e alcançou R$ 1,160 bilhão. Desse montante, 27% foram provenientes das exportações, e a expectativa é que em 2019 as vendas externas tenham participação de 31% na receita.

Em 2018 a empresa abateu 330 mil aves a cada dia, com crescimento de 20% sobre o ano anterior. Com os novos investimentos, a produção deve saltar nos próximos dois anos para 520 mil aves por dia. “A meta da empresa é sempre manter o crescimento produtivo, de vendas e de geração de empregos e renda e, assim, se posicionar como uma das maiores empresas do setor agroindustrial do Brasil”, afirma o diretor Hugo Garrote


Deixe seu comentário