O empresário industrial goiano está mais confiante na retomada da economia

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) em Goiás chegou a 63,6 pontos em novembro, o melhor resultado desde dezembro de 2018. A alta em relação ao mês anterior foi de 1,7 ponto e, frente a novembro do ano passado, o índice ficou estatisticamente estável.

Na avaliação da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), avanço de importantes matérias no âmbito do governo federal contribuiu com a melhoria do ambiente de negócios, como a aprovação da Reforma da Previdência, a evolução do debate pela simplificação tributária e a edição do Programa Verde Amarelo, que sinaliza mais avanços na modernização da legislação trabalhista.

Dentre os componentes do Icei, o destaque em novembro foi o Indicador de Condições, que mede as condições atuais comparadas com os últimos seis meses. Esse indicador ficou 5,7 pontos acima do registrado em novembro de 2018 e 3,2 pontos superior ao resultado de outubro desse ano. O índice alcançou 57,6 pontos, melhor resultado da série histórica desde fevereiro de 2011, revelando melhora nas condições correntes de negócios.

Já o Indicador de Expectativas, segundo componente do Icei que mede as perspectivas para os próximos seis meses, melhorou na comparação com o mês anterior (1 ponto), porém apresentou queda frente a novembro do ano passado (-3 pontos). De acordo com a assessora econômica da Fieg, Januária Guedes, apesar da queda no acumulado, o resultado mantém-se elevado, em 66,6 pontos, demonstrando que os empresários goianos têm boas expectativas para o futuro próximo.

Atividade industrial

A atividade industrial apresentou recuperação em outubro, com aumento na produção e na utilização da capacidade instalada. De acordo com o levantamento Sondagem Industrial da Confederação Nacional da Indústria (CNI), o índice de evolução da produção passou de 48,8 pontos em setembro para 55,2 pontos em outubro. Em outubro de 2018, o indicador estava em 54,7 pontos – pela metodologia da pesquisa, valores acima de 50 indicam alta.

“Os dados da Sondagem Industrial de outubro mostram continuidade da melhora de atividade do setor e, mais do que isso, uma aceleração deste processo. Os dados de atividade não só são amplamente positivos como também superam o observado no mesmo mês de anos anteriores”, afirma a CNI, que observa que a sazonalidade no período é favorável, visto que a atividade industrial costuma aumentar na passagem de setembro para outubro.

Já a utilização da capacidade instalada (UCI) passou de 69% para 70%, o maior nível em cinco anos. No mesmo mês do ano passado, também estava em 69%. O indicador de intenção de investimento subiu mais do que dois pontos, de 54,1 para 56,2 pontos. Era 55 pontos em outubro de 2018.

A recuperação no emprego, porém, não segue o mesmo ritmo. O índice que mede a evolução no número de empregados passou de 49 pontos para 49,5 em outubro, o que ainda mostra uma retração.


Deixe seu comentário