A geração de empregos formais cresceu pelo sétimo mês consecutivo no País, segundo dados divulgados hoje (21/11) de outubro do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). O saldo registrado é de 70.852 novas vagas, resultado de 1.365.054 admissões e 1.294.202 desligamentos no período. Já em Goiás, praticamente não houve crescimento no saldo entre admitidos e demitidos em outubro no mercado formal: foram 52.058 admissões contra 51.546 desligamento, uma variação positiva de apenas 512 novas vagas, ou somente de 0,04% no mês passado.

Entretanto, no acumulado do ano de janeiro a outubro, o saldo continua positivo no Estado, com a geração 41,5 mil novos postos de trabalho, diferença entre 523,3 mil admissões e 481,7 mil demissões, aumento de 3,4% em relação ao mesmo período de 2018.

Cinco dos oito setores da economia brasileira tiveram resultado positivo em outubro. Destaque ficou com o Comércio, responsável por 43.972 novas vagas, 62% do total. Completam a relação serviços (19.123 postos), indústria de transformação (8.946 postos), construção civil (7.294 postos) e extrativa mineral (344 postos). Apresentaram saldo negativo os setores da agropecuária (-7.819 postos), serviços industriais de utilidade pública (-581 postos) e administração pública (-427 postos).

As cinco regiões tiveram saldo positivo em outubro, com destaque para a Região Sul, com a geração de 27.304 novas vagas. Nordeste teve +21.776; Sudeste, +15.980; Norte, +4.315; e Centro-Oeste, +1.477. Entre as unidades da Federação, 23 tiveram variação positiva, com destaque para Minas Gerais com 12.282 vagas; São Paulo, +11.727; e Santa Catarina, +11.579. Já o saldo em Rio de Janeiro (-9.942); Distrito Federal (-1.365); Bahia (-589); e Acre (-367) foi negativo.

Os dados do Caged mostram que outubro foi o mês com o menor número de desligamentos mediante acordo entre empregador e empregado deste ano. Foram 17.697 nessa modalidade, envolvendo 12.730 estabelecimentos. Entre os setores econômicos, os desligamentos ocorreram principalmente em Serviços (8.894 desligamentos), Comércio (4.203) e Indústria de Transformação (2.815).

Na modalidade de trabalho intermitente, foram 14.254 admissões e 8.167 desligamentos, resultando num saldo de 6.087 empregos. A maioria deles, 2.129, no setor de Serviços. No comércio foram 2.045 e na Indústria de Transformação, 1.267. As principais ocupações foram assistente de vendas (594), repositor de mercadorias (527) e cozinheiro (264).

Já no regime de tempo parcial, o saldo em outubro foi de 2.569 empregos no País. Foram registrados 7.480 admissões e 4.911 desligamentos. Os setores que mais contrataram nessa modalidade também foram Serviços (1.150 postos), Comércio (1.139) e Indústria de Transformação (232) e as principais ocupações foram repositor de mercadorias (481), operador de caixa (346) e operador de telemarketing (185).


Deixe seu comentário