Com alta de 0,87%, Goiânia registrou a maior alta no preço nominal médio dos imóveis residenciais do País em setembro, de acordo com dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), cuja pesquisa considera os valores de imóveis vendidos por meio de financiamento bancário em dez capitais.

A pesquisa mostrou que nove das dez capitais pesquisadas tiveram alta nos preços médios no mês: Rio de Janeiro (0,09%), Belo Horizonte (0,10%), Recife (0,12%), Curitiba (0,36%), São Paulo (0,37%), Salvador (0,48%), Brasília (0,59%), Porto Alegre (0,73%) e Goiânia (0,87%). A única baixa no mês ocorreu em Fortaleza (-0,11%).

A média nacional de aumento ficou em 0,32% no mês passado em setembro no País, mostrando uma leve desaceleração na comparação com agosto, quando a alta foi de 0,36%. Já no acumulado dos últimos 12 meses, o preço dos imóveis teve aceleração, chegando a 2,55% em setembro ante 2,33% em agosto.

A Abecip relacionou a recuperação dos preços dos imóveis à melhora de alguns indicadores da economia brasileira, como o aumento de financiamentos e a queda nas taxas de juros, além da retomada do nível de emprego. “O início do processo de recuperação dos preços dos imóveis residenciais em termos nominais vem associado a essa tendência gradual de retomada do nível de atividades”, afirmou a associação.

Conforme a Abecip, o aumento da intensidade dessa tendência deve ocorrer na proporção pela qual o aumento da confiança de investidores e consumidores se consolide nos próximos meses, o que segue condicionado à aprovação das reformas estruturais necessárias.


Deixe seu comentário