Marcelo Palavani, diretor da ABB: “Goiânia foi identificada no Centro-Oeste por apresentar grandes oportunidades na região e por ter alto desempenho no setor industrial”

No momento em que a indústria mundial encontra-se no limiar do que é chamado de 4ª revolução industrial, Goiás segue se preparando, ainda que lentamente, para sua inserção na Indústria 4.0. Nesse trajeto, a manufatura avançada ganha relevância, e a digitalização é um caminho sem volta, pois a indústria precisa buscar e investir em soluções digitais.

O impulso para esta conquista ganha força na disseminação de inovações e soluções apresentadas pela ABB, líder global em tecnologia e em indústrias digitais com quatro negócios líderes globais focados no cliente: Eletrificação, Automação Industrial, Movimento e Robótica e Automação Discreta. A multinacional suíço-sueca apresentou em Goiânia, durante o workshop “A transformação da indústria na era digital”, as últimas novidades e tendências mundiais para a indústria, destacando os benefícios que a digitalização pode trazer aos negócios, como produção segura, redução de custos operacionais, eficiência energética, otimização de processos e visibilidade das operações.

O diretor de Negócios de Motion da ABB, Marcelo Palavani, explica que Goiânia foi identificada no Centro-Oeste por apresentar grandes oportunidades na região e por ter alto desempenho no setor industrial, sendo responsável por 40% do Produto Interno Bruto do Estado de Goiás. “A cidade reúne segmentos em que a ABB tem atuação de liderança, como alimentos, bebidas, mineração, automotivo e agrícola, onde nossas soluções podem impulsionar ainda mais o desenvolvimento industrial e econômico da região”, completa.

Soluções

Dentre as soluções, os motores elétricos e com sistema inverter (inversores de frequência) que, com maior eficiência, promovem economia de 20% a 60% no custo de energia em toda a planta industrial. Os motores evitam paradas, assegurando uma produção contínua dentro de 24 horas.

O YuMi, robô de dois braços, é outra novidade na área de robótica. Inovador, suatecnologia de automação permite a integração homem-máquina, de forma que trabalhadores e robô atuem lado a lado, com segurança e um grau de proximidade nunca imaginado antes. A tecnologia oferece flexibilidade para os fabricantes criarem lotes menores de produtos mais personalizados. Essa customização está se tornando a nova realidade para as indústrias, sendo empregada para adicionar automação colaborativa à fabricação de automóveis, bens de consumo, alimentos, bebidas, produtos farmacêuticos e laboratórios.

Projetado para trabalhar com alta precisão, o robô pesa 38 quilos e pode ser ligado em uma simples tomada de 220 volts. O custo dessa solução gira em torno de R$ 250 mil. O retorno é o aumento da produtividade com erro zero.

YuMi, robô de dois braços, oferece flexibilidade para os fabricantes criarem lotes menores de produtos mais personalizados

Confiabilidade

Além das economias e dos investimentos que podem ser feitos de forma escalonada, outro benefício da digitalização industrial é o aumento da confiabilidade dos equipamentos instalados na fábrica. “A revolução 4.0 é quem dá o tom para uma nova forma de fazer negócios, oportunizando a indústria a deixar operações repetitivas e inserir tecnologias e sistemas para uma linha de produção moderna e eficiente”, diz Marcelo Palavani.

Primeiro passo para novo patamar tecnológico da indústria 4.0, a digitalização vai propiciar a transformação do setor, podendo ela ser aplicada em camadas pelas indústrias, começando do chão de fábrica, passando pela segurança de softwares e controle de processos chegando à camada da inteligência artificial. “As companhias que falham em não adotar tecnologias e práticas de fabricação inteligentes, no âmbito da Indústria 4.0, correm o risco de ficar para trás e é por isso que estamos vendo um número crescente de fábricas em todo o mundo que investem e comprovam na prática as vantagens da digitalização“, conclui Palavani.


Deixe seu comentário