O grupo Caoa descarta a possibilidade de reduzir a produção de veículos na sua fábrica em Anápolis, onde monta carros das marcas Chery e Hyundai. “Nossa intenção é lançar três carros em Anápolis e ter outra marca na fábrica de São Bernardo”, disse o presidente, Carlos Alberto Oliveira Andrade. A especulação de que a empresa poderia transferir parte de sua produção de Goiás para São Paulo surgiu depois que anunciou, na semana passada, a possível compra da fábrica paralisada da Ford em São Bernardo do Campo, no ABC paulista.

O governo de São Paulo ofereceu um generoso pacote de incentivos fiscais, enquanto em Goiás a empresa é alvo de uma CPI na Assembleia Legislativa para investigar se houve irregularidades na concessão de seus benefícios fiscais. O governo goiano, que enfrenta problemas fiscais, tem buscado aumento da arrecadação. “Há pouco mais de quatro meses iniciamos entendimento. Temos um bom entendimento entre as partes [Caoa e Ford]”, disse o governador paulista João Doria.

Doria disse, ainda, que se a Caoa gerar 400 empregos e investir R$ 1 bilhão no estado, poderá aderir ao programa de incentivos fiscais IncentivAuto, que dá desconto de até 25% do ICMS aos fabricantes. “A intenção da Caoa é manter a fabricação de caminhões na planta e iniciar a fabricação de um modelo de carro de passeio”, frisou.

Especula-se que a Caoa vai montar carros da chinesa Changan na antiga fábrica da Ford. Embora ainda não se saibam quais modelos serão feitos, é certo que o enfoque estará nos SUVs compactos. De acordo com informações obtidas pelo Jornal do Carro, a Changan deverá lançar SUVs “mais baratos que os da Chery”.


Deixe seu comentário