Ambiente colaborativo estimulará a troca de conhecimentos, a inovação e o empreendedorismo

Estudantes, inventores, empresários e qualquer pessoa interessada poderão aprender não apenas a desenhar e a manipular suas criações digitais, mas também a usar ferramentas de manufatura para construir e realizar os seus projetos. Onde? No IPE lab, que será inaugurado nesta quinta-feira (20), às 14h30, no Parque Tecnológico do Campus Samambaia, da Universidade Federal de Goiás (UFG).

Trata-se da primeira unidade do Projeto IPE – Ideias, Prototipagem e Empreendedorismo , resultado da parceria entre a UFG e o Sebrae, com o apoio da Fundação de Apoio à Pesquisa (Funape) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg).

O espaço contará com impressoras 3D, fresadoras, tornos e outros equipamentos para design, modelação, prototipagem, teste, fabricação e documentação. Ainda serão oferecidos cursos, treinamentos e acompanhamento para transformar projetos empreendedores em realidade e também para aprimorá-los, agregando conhecimento e inovação a produtos, processos e serviços.

Empreendedorismo

Segundo o pró-reitor de Pesquisa e Inovação da UFG, Jesiel Freitas Carvalho, o IPE lab criará um ambiente que fomentará a reunião de alunos de diferentes áreas do conhecimento para trocar ideias, formular propostas de criações conjuntas e chegar até a construção de um protótipo funcional. “Isso num único lugar é uma facilidade bastante significativa para a promoção do espírito empreendedor e da inventividade”, ressalta.

A iniciativa, de acordo com o pró-reitor, pode proporcionar para o Estado de Goiás novos elementos de estímulo ao desenvolvimento. “Além de ser fonte de boas ideias, pode estimular a criação de novas empresas, especialmente as de base tecnológica, na medida em que os jovens e mesmo os não tão jovens assim terão a oportunidade de pensar sobre, elaborar, construir e testar dispositivos funcionais no ambiente do laboratório.”

A professora Helena Carasek, pró-reitora adjunta de Pesquisa e Inovação e diretora de Transferência e Inovação Tecnológica da UFG, salienta o papel social do laboratório, já que ele oferecerá equipamentos e suporte para desenvolvimento de projetos a quem não conta com esses recursos. “No IPE lab, a pessoa entra com uma ideia e sai com um modelo, um protótipo. É um convite à criatividade, à inovação e à realização.”

De acordo com Luizmar Adriano Júnior, diretor adjunto do Parque Tecnológico Samambaia da UFG, a iniciativa visa difundir na sociedade a cultura empreendedorismo e da inovação tecnológica por meio da articulação entre o “movimento maker”, o estímulo à transferência do conhecimento científico gerado na UFG e o apoio à geração de negócios e produtos inovadores. “Os usuários das unidades do IPE lab terão acesso a equipamentos sofisticados e a um ambiente criativo, inspirador, colaborativo e propício à modelagem e à prototipagem de produtos e processos”, destaca.

Laboratório contará com impressoras 3D para converter criações digitais em protótipos

Laboratórios

O Projeto IPE prevê a instalação de sete laboratórios abertos de prototipagem. A unidade 1 será a mais diversificada, voltada ao atendimento de profissionais, estudantes e empresas de várias áreas. A Unidade 2 do projeto será instalada na Faculdade de Arquitetura e Artes Visuais. O IPE-Unidade 3 será implantado na Escola de Agronomia. Todas essas três unidades serão localizadas no Campus Samambaia da UFG.

O IPE-Unidade 4 será instalado na quadra das engenharias, no Campus Colemar Natal e Silva da UFG, no Setor Universitário. Já as unidades 5, 6 e 7 serão implantadas, respectivamente, nas cidades de Goiás, Jataí e Catalão.


Deixe seu comentário