Luciana Dutra durante apresentação de produtos da Spice Cook, que já são vendidos nos mercados do Centro-Oeste e do Nordeste

Nascida da paixão da empresária Luciana Dutra pela cozinha, a Spice Cook, empresa especialista em alimentos: doces, molhos, massas, temperos e especiarias, voltada para o mercado atacadista e varejista, lançou neste mês sua linha premium, com 80 itens. Até o ano que vem chega ao mercado português, com produtos que fazem referência ao Brasil, em um afago à memória afetiva, como a Bananinha.

As novidades vão se somar ao mix atual, com 10 linhas e 74 produtos, que já abrange o mercado do Centro-Oeste e do Nordeste, muito graças à estratégia de investir no outsorcing. “Tenho uma capacidade produtiva maior aproveitando as plantas industriais que já estão em Goiás”, explicou Luciana Dutra ao EMPREENDER EM GOIÁS. “Houve um período de estruturação antes de iniciar a empresa; quando começamos, estávamos bem preparados”, completa.

Além do planejamento de gestão, o gosto pela cozinha da filha de mineiros nascida em Anápolis definiu a formatação e o desenvolvimento da empresa. “O nosso diferencial é a qualidade, logística, a imagem e o atendimento. É um trabalho com paixão. Tanto que a nossa primeira campanha foi ‘Gente que cozinha com o coração’, para mostrar aquelas pessoas que realmente cozinham fazem com amor, porque essa empresa foi criada com amor”, reflete Luciana.

Ela planeja inaugurar em breve uma fábrica em Terezópolis, distante 32 quilômetros de Goiânia, e não descarta a instalação de outra em Nordeste, a depender, explica, da demanda da região. “O mercado é que vai ditar a regra. O meu maior mercado comprador é do Nordeste? Se sim, vou ter que me situar lá para não ter um grande custo com frete”, exemplifica. “O que planejamos em dezembro [de vendas], já ultrapassou [em maio]. Nosso mercado é focado também no atacadista, com grandes contratos. Já fechamos cadastros e estamos fechando outros”, acrescenta. O Centro de Distribuição da empresa fica na Vila Brasília, em Aparecida de Goiânia.

Doces, molhos, massas, temperos e especiarias, voltadas para o mercado atacadista e varejista, fazem parte do portfólio da Spice Cook

De estagiária a empresária

Hoje, a marca já ganha destaque nacional, como apoiadora do Master Chef, participando do Desafio do Chef, em Goiás, competição que vai levar cantores para a cozinha. Visibilidade que emociona Luciana, advogada e gestora ambiental que começou a carreira em 1999, como estagiária. “Comecei do zero e com a graça de Deus”, recorda ela, que à época ganhava R$ 200. “Minha trajetória foi com muito amor, dedicação, humildade, trabalhando dia e noite. Mar de rosas não existe e esse que é o desafio do empreender, é ter persistência e saber enfrentar os desafios”, enumera.

Em 2005, ela estrutura a Hollus, voltada para o segmento de engenharia e meio ambiente. Hoje, a empresa é a maior de Goiás no ramo de engenharia consultiva e meio ambiente e uma das maiores do Brasil. “Na época, tínhamos que fazer um trabalho de educação ambiental porque não compravam serviço de meio ambiente. Foi uma grande luta, é um mercado muito machista, tive que sobreviver e hoje a única mulher do segmento ”, celebra.

Com trabalho técnico e especializado, a Hollus presta serviços na área de infraestrutura, abrangendo rodovia, ferrovia, saneamento e meio-ambiente, com atividades que vão desde o estudo de viabilidade técnica, econômico, ambiental, até estudos ambientais, arqueologia, supervisão e gerenciamento de obras e técnico-social. Está presente em 12 estados e no Distrito Federal, empregando mais de 350 pessoas, direta e indiretamente. “É um trabalho altamente técnico e especializado”, destaca.

Antes de se dedicar inteiramente à Hollus, Luciana atuava como advogada e também professora universitária. “Advogava em todos os tribunais, adorava, mas abandonei tudo para focar na empresa. Acredito que Direito me deu a capacidade de gestão que tenho hoje”, avalia, refletindo que sua primeira experiência empresarial agregou ao desenvolvimento da Spice Cook. “Principalmente na área comercial, a experiência que adquiri em uma levei para a outra. Experiência de vida, de gestão, de negócios”, diz.

Além de atuar na área de alimentos, a empresária Luciana Dutra comanda a Hollus, empresa do segmento de engenharia consultiva e meio ambiente

Representatividade

Além das duas empresas, Luciana foi eleita, no ano passado, presidente da Associação Nacional das Empresas de Engenharia Consultiva de Infraestrutura de Transportes (Anetrans). Envolvida em debates sobre a importância da engenharia consultiva para o desenvolvimento do país, a entidade comanda articulações para mudanças na lei de licitação no Brasil. “Não adianta falarmos de aditivos, obras inacabadas, ausência de qualidade em obras, se deixarmos de olhar a adequação da lei a realidade atual, ou seja, o fundamento, que é um modelo de contratação adequado, com maior foco em planejamento, projetos e a regulamentação correta da relação entre o poder público e privado, alerta Luciana, que além da vivência prática e teórica, já ministrou palestras sobre o tema .

O trabalho está sendo articulado pela entidade em quatro frentes: administrativa, institucional, legislativa e judicial. A intenção é alterar cinco artigos da lei que são cruciais para tornar mais claras as regras de contratação. “Se a gente mudar essa base, o resto vai ser minimizado. Isso vai mudar a história da Brasil, vai mudar a relação entre o público e o privado”, prevê.


Deixe seu comentário

2 comments

  1. Flaviane Responder

    Parabéns pela matéria!

  2. Daniela Duarte Responder

    A maionese caseira é simplesmente MARAVILHOSA, mas a embalagem é super difícil de apertar para sair a maionese, tem que apertar com as duas mãos e mesmo assim sai pouco…
    Poderia fazer embalagens mais fáceis de manusear
    Fora isso, a qualidade é incontestável!