Goiânia pode ser polo tecnológico do País

1216 1

O Brasil tem um contexto bastante peculiar quando falamos de inovação. Apesar da acelerada evolução do conhecimento científico no País, toda essa sabedoria produzida em território nacional não é transformada em riqueza na mesma proporção.

O País subiu uma posição no ranking global de inovação elaborado pela A.T. Kearney em agosto de 2016, ficando na 69ª colocação, entre 128 pesquisados. Goiás, por sua vez, amargou o 16º lugar no ranking brasileiro de inovação. Diante desse número, não concordo com o slogan que o governo estadual usava destacando o “estado inovador”.

Já Goiânia ficou em 21º lugar no Índice de Cidades Empreendedoras, que avaliou o ambiente empreendedor de 32 cidades brasileiras. Ou seja, nossa classificação ainda é ruim no quesito inovação, seja no País, Estado ou município. Mas podemos reverter esse cenário, transformando nosso potencial de criatividade em negócios. Acredito que através da inovação e da educação podemos chegar mais rápido ao nosso objetivo e acelerar o crescimento que temos em todos os lugares.

Goiás e mais especificamente a sua capital, Goiânia, têm ambiente propício para o desenvolvimento das empresas de tecnologia. Tivemos muitas conquistas ao longo dos anos em infraestrutura, parte educacional, empresarial e governamental. Esse é o tripé que dá a base para a inovação acontecer.

Ao longo dos últimos anos criou-se juntamente com as academias e com os governos um ambiente fértil em Goiás para o desenvolvimento das empresas, com o viés da inovação em tecnologia.

A parte de legislação a nível municipal e a nível estadual avançou com o apoio do governo, através de diversos programas privilegiando uma visão moderna e de futuro. Ou seja, está sendo construída essa base para que qualquer empresário que esteja aqui ou que queira vir de fora tenha a certeza de bons investimentos com garantia legal. Apesar dessa construção levar algum tempo, temos de ter em mente que esse processo é necessário, assim com as coisas tomam tempo na natureza. E não é somente o Brasil que é extremamente burocrático. Em outros lugares isso também acontece.

Depende de nós
No entanto, a sugestão que faço é de um espírito mais associativista aos empresários. Pois geralmente poucos se dispõem a trabalhar através das entidades para fazer a economia girar. E nosso desejo é que o coletivo seja priorizado para que Goiânia seja uma capital que tenha um verdadeiro polo tecnológico. Para isso, precisamos que um maior número dedique tanto tempo quanto força nesse objetivo em comum.

Eu acredito na diversidade de todos os tipos, de pessoas, culturas e muitas outras. Quanto mais pessoas diferentes, maiores são as possibilidades de criação. Muitos falam que o desenvolvimento vai fazer com que o ser humano se perca. Pelo contrário! A tecnologia tem trazido qualidade de vida melhor, aumento da expectativa de vida e uma comunicação cada vez mais possível e abrangente.

Pela localização estratégica da cidade já temos algumas facilidades que contribuem para isso, como a proximidade com o governo federal, que é um grande consumidor de produtos tecnológicos. E a legislação específica da parte de tecnologia dá as condições para que as empresas nasçam e se fortaleçam aqui. Mas para que as coisas aconteçam, precisamos ter um ambiente apropriado. Por isso é necessário que o governo melhore, inclusive utilizando recursos tecnológicos, nossa condição de vida, infraestrutura da cidade, segurança e educação.

Temos também boas instituições de ensino e alunos premiados, ou seja, todos os elementos necessários para a inovação. Mas uma lacuna que nos deixa atrasados em relação a outras cidades brasileiras, por exemplo, é que nem todos os nossos empresários têm conhecimento de todas as conquistas, como a lei de inovação, Goiânia Digital, ISS Tecnológico, entre outras.

Estive recentemente em Recife e ali eles têm orgulho de exaltar suas conquistas, que inclusive são menores que as nossas. Isso demonstra que aqui temos mais condições legais, porém pouco usufruímos ou contribuímos em dar sugestões para tais melhorias.

Podemos transformar Goiânia em um grande polo tecnológico no Brasil. Temos boas condições para isso. Mas precisamos continuar trabalhando em conjunto com empresários, academias e governos para desenvolver esse ecossistema de inovação.

Estamos no caminho certo! Com nossa iniciativa, força e energia do setor privado, podemos lutar por um agenda positiva de ações para melhorar a legislação e nossa cidade ainda mais. Não podemos esperar que o governo faça as coisas sozinho. O objetivo é que a maioria se una em prol do coletivo.


Deixe seu comentário

1 comment

  1. WA SOLAR Responder

    O Instituto Gyntec juntamente com a aceleradora de start ups ACE, estão fazendo um trabalho incrível que com certeza levará Goiania num patamar muito melhor.