Complexo tem hoje 11 apartamentos e restaurante para 150 pessoas

O complexo Thermas Água Santa, em Aragarças, a 345 quilômetros de Goiânia, vai investir mais R$ 50 milhões em novas etapas do seu complexo. Elas incluem a ampliação do parque aquático e da capacidade hoteleira, construção de trilhas pelas matas da propriedade, cuja área mede 4,2 milhões de metros quadrados, e até instalação de bangalôs nas copas das árvores. “É um projeto que não sai da minha cabeça”, afirma o diretor do empreendimento, Leandro Daher.

Até agora, foram investidos R$ 8 milhões. Para alcançar as novas metas, o empresário explica que o Thermas Água Santa negocia parcerias com grandes empresas do ramo de hotelaria e lazer, brasileiras e estrangeiras. Por enquanto, o projeto é executado em sociedade entre as empresas Tropical Urbanismo, Goiarte e César Transportes.

O Thermas acaba de apresentar sua nova estrutura de hospedagem. É a conclusão de mais uma etapa do projeto, que une no mesmo lugar dois dos maiores símbolos do turismo em Goiás: piscinas de águas quentes naturais bem às margens rio Araguaia.

Agora, a pousada conta com 11 quartos totalmente novos, com frigobares, camas boxe, TV a cabo e wifi gratuito. A decoração traz amplo uso de madeira, pedras e objetos indígenas, dando um aspecto rústico ao ambiente. A ideia é proporcionar aos hóspedes uma experiência de conforto e de proximidade com a natureza, já que o local é rodeado por muito verde e muita água. Aliás, a preservação do ambiente local é uma das obsessões do diretor e grande entusiasta do projeto Água Santa, Leandro Daher. Até porque ele acredita que esse será outro grande diferencial para atrair visitantes voltados ao ecoturismo, tanto do Brasil quanto de outros países.

Estrutura
Além da nova estrutura de hospedagem, o complexo conta com piscinas de águas quentes naturais adulto e infantil, balde aquático, cascata de 5 metros e quatro quiosques para churrasco. Uma das principais atrações é o Poço do Tomás, onde a água brota da terra a uma temperatura média de 39 graus. Ao todo, são cerca de 30 dessas nascentes espalhadas pela propriedade, algumas a poucos metros das águas do Araguaia. Detalhe que, segundo Leandro Daher, dá uma medida do potencial de exploração da área.

Saindo do poço do Tomás e indo por uma passarela suspensa, o visitante atravessa uma reserva natural e chega a uma praia exclusiva de areia branca e fina e às águas do Rio Araguaia, convidativas a um mergulho na companhia de peixes e até de botos. Do outro lado do rio já é o estado do Mato Grosso.

Sérgio Ávila, Antônio Carlos e Leandro Daher: sócios no complexo Thermas Água Santa

Novos investimentos
O empreendimento inclui um condomínio residencial projetado para 230 casas de veraneio. Todos esses dados foram apresentados durante evento no sábado passado, dia 29 de junho, no Thermas Água Santa. Leandro Daher ressaltou a preocupação com a preservação do meio ambiente e também com o resgate da cultura local, incluindo seus primeiros habitantes, os indígenas, adiantando a intenção de montar um museu do índio.

Antônio Carlos Costa, da Tropical Urbanismo, disse que 50% do sucesso do projeto é dos empreendedores e os outros 50%, dos visitantes. Sérgio Ávila, diretor da Goiarte Soluções Construtivas em Concreto, lembrou que a propriedade onde hoje está o Thermas Água Santa foi adquirida em 1974 por seu pai, Tomás Procópio de Ávila, daí o nome Poço do Tomás.

O complexo emprega atualmente cerca de 20 pessoas, além de oferecer mais de 40 empregos indiretos. A empresa dá preferência à contratação de pessoas e serviços da própria região. Saindo de Goiânia, o principal acesso ao Thermas Água Santa é pela GO 070, passando por Inhumas e Cidade de Goiás. Há também a opção pela GO 060, saída para Trindade. Cerca de 22 quilômetros antes de Aragarças fica a entrada para o parque.


Deixe seu comentário