A loja da Avenida Castelo Branco, em Goiânia, ganhou novo ambiente de vendas, fachada e logomarca

Loja pioneira em peças para tratores e implementos agrícolas em Goiás, a A. Camargo investe na ampliação de seu mix de produtos e no comércio digital para consolidar sua posição de mercado. Com 54 anos de atividade, a empresa trabalha com cerca de 15 mil itens em peças e ferramentas, e atende a clientes de todo o Centro-Oeste e do Tocantins, Pará, Minas Gerais, Bahia e de outros Estados.

“Além de ampliar o portfólio de peças para os tratores mais novos, também fortaleceremos a linha de preparo de solo. Somado a isso, estamos preparando a entrada em outros segmentos de reposição na cadeia de produção agrícola. Também reforçaremos nossas vendas online e presença nas redes sociais”, afirma Gustavo Patrício de Camargo, diretor operacional da empresa.

A empresa fornece cerca que de 90% das peças de um trator agrícola mais convencional. Além das peças agrícolas, a loja conta com uma linha variada de ferramentas e máquinas que atendem desde pequenas oficinas até grandes indústrias. Gustavo Camargo diz que as novas ações estão em linha com o reposicionamento da empresa iniciado há alguns anos, quando decidiu se modernizar para fazer frente às novas demandas do mercado.

“A concorrência é dura e centrada no preço. Então, buscamos também reforçar nossos laços com a clientela, que observamos ter mudado. Afinal, são mais de 54 anos de atuação. Nossa clientela passa de avô para neto, o que nos levou a aprimorar essa relação com as novas gerações”, conta ele, que é neto de Antonio Camargo, fundador da empresa.

Antonio Camargo Junior e Gustavo de Camargo, diretor comercial e operacional, respectivamente: tio e sobrinho na loja da Castelo Branco

Nova roupagem
O reposicionamento da loja, explica Gustavo, incluiu uma repaginada na loja da Avenida Castelo Branco, em Goiânia. A nova roupagem modernizou o ambiente de vendas, fachada e logomarca. Também houve mudanças na gestão, onde a busca por melhores resultados se tornou mais evidente em todos os setores da organização .

“No início do atacado, o crescimento era orgânico o que se seguiu até meados de 2015, quando tomamos outros rumos na gestão e impulsionamos nossas vendas desta unidade de negócio no interior e em outros Estados. Hoje, o atacado já representa mais de 50% de nosso faturamento”, diz, evitando dar números.

Outro desafio, revela, é investir em treinamento de vendedores numa área em que não existe apoio das indústrias. “Mão de obra para nós sempre foi um problema, pela especificidade do negócio. Um bom vendedor nessa área se forma praticamente sozinho, começando no estoque e se familiarizando com os próprios catálogos”, afirma o gestor da A.Camargo.

Atualmente com 85 funcionários diretos e uma diversificação de negócios no ramo imobiliário (com a construtora GynCasa), a A. Camargo teve seus primeiros passos dados ainda no final dos anos 50 e início dos 60 do século passado. Antonio Camargo abriu com o irmão a Torneadora Real, em 1961. Mas logo perceberam que poderiam crescer mais se fossem para o comércio. E investiram no setor agrícola, vislumbrando o potencial do agronegócio do Estado. Nesta época, trocaram de ramo e, em 1965, fundaram a A. Camargo .


Deixe seu comentário