O Produto Interno Bruto (PIB) de Goiás apresentou crescimento de 1,3% no primeiro trimestre deste ano em comparação com o mesmo período de 2018. O Estado teve aumento de produção nos setores da indústria (1,4%), agropecuária (1,1%) e no de serviço (1,2%) nos três primeiros meses do ano. O crescimento da economia goiana foi superior da brasileira, que apresentou alta de 0,5%, neste início de ano.

O bom desempenho de atividades representativas da economia goiana foi responsável por impulsionar a economia. O crescimento da indústria de transformação, ancorado na fabricação de produtos alimentícios (4,0%) e na produção de coque (30,4%), produtos derivados de petróleo e biocombustíveis, ajudaram.

No setor de serviços, que tem participação de 65,1% do PIB goiano, destacaram-se a produção de tecidos, vestuário e calçados (28,6%); o comércio de veículos, motocicletas, partes e peças (10,8%); e outros artigos de uso pessoal e doméstico (27,1%). Na agricultura os destaques foram a produção de cana-de-açúcar (3,4%), sorgo (5,3%) e algodão herbáceo (5,5%), além da de milho, que atingiu 9.878.927 toneladas, aumento de 4,6%.

Diretor do Instituto Mauro Borges, Cláudio André Gondim Nogueira afirma que o resultado é positivo, mas é preciso cautela para avaliar o comportamento do PIB no restante do ano. “Estamos em um período de recuperação lenta da economia e os investidores estão esperando a concretização de reformas importantes. As expectativas de crescimento nacional estão diminuindo e esperamos que não se reflitam em Goiás, que tem uma estrutura produtiva competitiva”, disse.


Deixe seu comentário