Otávio Lage Filho, presidente da Adial Goiás: geração de empregos e desenvolvimento são as principais contribuições das indústrias em Goiás

É quase uma unanimidade: a indústria é considerada por 98,3 % dos goianos como muito importante ou importante para o desenvolvimento econômico do Estado. Além de criar novos empregos formais, os goianos enxergam na industrialização da economia estadual uma grande oportunidade para gerar novos negócios nas cidades onde as empresas estão instadas ou são anunciados investimentos, aumenta a arrecadação de impostos, além de atrair mais escolas e universidades. Por conta disto, 97,7% dos goianos são a favor da instalação de novas indústrias em Goiás.

São algumas das principais constatações das pesquisas quantitativa e qualitativa divulgadas hoje pela Adial Goiás sobre a percepção dos goianos em relação à industrialização, geração de empregos, desenvolvimento econômico e incentivos fiscais no Estado. A pesquisa quantitativa ouviu 800 goianos entre 20 e 29 de abril deste ano em mais de 40 municípios goianos. A margem de erro, para mais ou menos, é de 3%. Já as pesquisas qualitativas foram realizadas no mesmo período em Goiânia, Anápolis, Rio Verde e Catalão, sempre com dois grupos em cada cidade.

Locomotiva
A indústria é considerada o setor econômico mais importante pelos goianos para o desenvolvimento do Estado, com 33% das respostas, seguido pelo comércio (21%) e agricultura/pecuária (15,7%). Nos municípios goianos com forte polo industrial, este porcentual cresce para 39,8% das respostas da pesquisa encomendada pela Adial Goiás. Quanto maior é a sua faixa etária, maior é a percepção dos goianos de que a indústria é o setor mais importante para o desenvolvimento econômico e social do Estado.

A importância da indústria se destaca nas respostas dos goianos que moram na Região Central (44,7% das respostas) e no Norte/Noroeste (45,7%). Só perdeu (para o comércio) em Goiânia (com apenas 21,7% das respostas, contra 23,3% para o comércio) e no Entorno e Nordeste (20,5% a 38,4%). Nas Regiões Sul, Sudoeste e Sudeste o setor industrial é visto como o mais importante para o desenvolvimento de Goiás, mas muito próximo está o da agricultura e pecuária.

Já na pesquisa qualitativa encomendada pela Adial Goiás as pessoas entendem que os serviços públicos têm de ser promovidos pelos governos, sejam eles municipal, estadual ou federal. Separam bem de quem é a atribuição e dizem que se está faltando algo, é por falta de competência ou probidade para gerir os recursos. Contudo, enxergam como um gesto positivo as iniciativas que partem do empresariado, pois entendem que eles também recebem contrapartidas do setor público. As ações mais defendidas são a construção de creches, investimentos na área social, cultura, esporte e qualificação profissional.


Deixe seu comentário