O BNDES suspendeu os pedidos de financiamento do Moderfrota, linha de crédito para máquinas e equipamentos agrícolas, e do Inovagro, programa de financiamento para investimentos em inovação do agronegócio. Uma circular informando os bancos repassadores foi publicada no site do BNDES. Com juros subsidiados, as duas linhas desembolsaram R$ 7,1 bilhões ano passado.

Segundo a circular, os empréstimos foram suspensos “em razão do comprometimento total dos recursos disponíveis para as citadas Linhas de apoio para o Ano Agrícola 2018/2019”. “O BNDES mantém discussões junto ao Ministério da Agricultura na avaliação de alternativas para remanejamento de recursos equalizáveis pelo Tesouro Nacional para os citados programas, para o ano agrícola 2018/2019”, diz o texto.

O presidente do BNDES, Joaquim Levy, já criticou os subsídios do crédito agrícola. “A ideia é de que o desmame tem de acontecer”, disse em evento do BTG Pactual, em fevereiro, citando distorções causadas por subsídios agrícolas, como as pedaladas fiscais, que geraram um passivo bilionário que precisou ser devolvido pelo BNDES ao Tesouro. “Tem R$ 20 bilhões de pedaladas, de crédito rural que não tinham sido pagos e que devolvemos”, afirmou.


Deixe seu comentário