Presidente da Fieg, Sandro Mabel, com diretores da Acia e empresários

Dizer ‘sim’ ao desenvolvimento econômico, à atração de investimentos e à geração de empregos. Essa foi a tônica da palestra do presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), Sandro Mabel, na noite de quarta-feira (6), na sede da Associação Comercial e Industrial de Anápolis (Acia). “Queremos transformar Anápolis na cidade do ‘sim’, que diz ‘sim’ à atratividade, aos novos investidores e que facilite a instalação das indústrias que buscam a cidade”, afirmou.

Durante a palestra, o presidente da Fieg ressaltou que o município perdeu protagonismo nos últimos anos para outras cidades goianas devido, principalmente, às dificuldades encontradas por empresários para instalar suas indústrias no município.

De acordo com o cálculo do Instituto Mauro Borges (IMB) em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE),  Anápolis vem perdendo participação no Produto Interno Bruto (PIB) do Estado nos últimos anos. Em 2015, a participação de Anápolis no PIB foi 7,7%, mas em 2016, último dado disponível, caiu para 7,2%.

No ranking de 2018 das Melhores Cidades para Fazer Negócios, elaborado pela Urban Systems para a Revista Exame, Anápolis ficou em 78º lugar no País, atrás de Catalão, que conquistou a 77º colocação.

Mesmo tendo o segundo PIB do Estado, Anápolis vem perdendo participação na economia goiana

Centro tecnológico

Para Sandro Mabel, é o momento dos investidores redescobrirem Anápolis e conclamou as autoridades presentes a se engajarem nessa mudança de cultura empreendedora na cidade. “A Fieg quer adotar Anápolis com muita força. Nós temos seis sindicatos importantes aqui e vamos ajudar na viabilização da Plataforma Logística Multimodal e do Centro de Convenções. Queremos, inclusive, transformar a cidade em um centro tecnológico. Todo esse trabalho será realizado através da união de esforços entre a Fieg, a Acia, os empresários e o poder público”, afirmou.

Criado em setembro de 1976, o DAIA abriga indústria de transformação, medicamentos, indústria automobilística e de outros segmentos

Durante a palestra, o presidente da Fieg também apresentou os eixos prioritários que a instituição vai trabalhar em sua gestão, destacando a industrialização dos grãos produzidos no Estado, a indústria da moda e o setor de mineração. “Vamos acabar com a farra das tradings e transformar Goiás no maior polo de moda do país”, frisou.

Dezenas de empresários anapolinos acompanharam o evento, que também contou com a presença do prefeito Roberto Naves, do deputado estadual Coronel Adaílton e de vereadores da cidade.


Deixe seu comentário