O SUV médio Eclipse Cross, atualmente importado do Japão e já à venda no Brasil, será produzido em Catalão

A Mitsubishi, através do grupo nacional HPE, voltou a reafirmar a decisão de investir R$ 300 milhões na fábrica de Catalão para produzir o utilitário esportivo médio Eclipse Cross, a partir do segundo semestre de 2019, bem como para adequação da linha de produção, aquisição de novos equipamentos, treinamento de pessoal e atividades de expansão. Serão gerados 200 novos empregos para a produção do quarto modelo da marca em Catalão, onde já são montados a picape L200, o utilitário compacto ASX e o sedã esportivo Lancer.

A informação já tinha sido anunciada durante o Salão do Automóvel de São Paulo, no início de novembro do ano passado, mas nesta terça-feira (29) foi reiterada pelo presidente da Mitsubishi, Robert Rittscher, durante encontro com o futuro secretário de Indústria, Comércio e Serviços, Wilder Morais. Outra boa notícia anunciada por Rittscher foi que estão adiantadas as negociações com a matriz da montadora japonesa para a produção do novo Pajero Sport em Goiás, que seria o quinto modelo a ser produzido na unidade de Catalão. O utilitário para sete pessoas era nacional, mas atualmente é importado da Tailândia.

Roberto Rittscher também desmentiu o boato de que a montadora teria demitido 200 funcionários da fábrica de Catalão. “O que foi comentado há algumas semanas atrás não é realidade. Nós não demitimos nenhum funcionário. Evidentemente qualquer indústria demanda alguns ajustes dentro das estratégias produtivas e que podem chegar a algumas alterações do quadro da empresa. Mas nós não temos nenhum objetivo de demitir, como foi dito”, esclareceu.

O novo Pajero Sport, importado da Tailândia, também deverá ser produzido em Catalão

A HPE realiza também a montagem do jipe Jimny, da Suzuki, em versão com câmbio manual, em Catalão. O modelo com câmbio automático, o Jimny Sierra, será importado a partir do segundo semestre de 2019, mas também poderá ser produzido em Goiás.

Parceria

Para o senador Wilder Morais, esse é um momento de fidelizar a parceria entre o governo e os empresários. “O atual governo do Estado de Goiás enxerga os empresários como investidores”, afirmou. “Nós precisamos entender como funciona o negócio de vocês para poder contribuir com o crescimento da empresa. Nós somos parceiros”, complementou.

Wilder Morais, Alfredo Sestini e Robert Rittscher conversam sobre os investimentos da Mitsubishi em Goiás

O futuro secretário da pasta prepara uma agenda de visitas às principais indústrias instaladas em Goiás. Pelo projeto, as primeiras empresas a serem visitadas estão instaladas em Rio Verde, Jataí e Itumbiara. As visitas dependem da agenda do governador Ronaldo Caiado.


Deixe seu comentário