A liderança não se restringe a quem já nasce com tal perfil, aliás, muitas vezes ela não é explícita e surge com o tempo. Mas, seja ela inata ou adquirida, é uma qualidade que precisa ser lapidada e constantemente aperfeiçoada. Dentro dessa perspectiva, criatividade, estabilidade emocional e proatividade são diferenciais dos profissionais que as empresas têm buscado para assumir cargos de liderança. Honestidade, responsabilidade e engajamento também fazem o perfil do líder que os empresários veem com bons olhos. Líderes que ignoram essas competências geralmente não permanecem nos projetos das corporações, e talvez, nem no mercado.

Líderes com alta capacidade de inspiração e mobilização ganham cada vez mais espaço estratégico neste momento, ainda de dificuldades. Nos últimos três anos de crise, as empresas tiveram que fazer mais com menos. Por isso, lideranças engajadas e com grande parte das qualidades citadas acima estão mantendo não só o seu emprego, mas o de muitos de seus liderados. E é isso que as empresas buscam; pessoas apaixonadas, influenciadoras que dão o seu melhor e sabem tirar o melhor de cada um.

O líder, para se destacar sobretudo nestes tempos difíceis, precisa oferecer mais competências à empresa, portanto, seus talentos devem ser lapidados, aprimorados e potencializados. Nesse sentido, as organizações assumem papel fundamental ao buscar treinamento para seus líderes, afinal, mesmo com todo o avanço que se experimentou nas últimas décadas, empresas ainda são feitas por e para as pessoas. As lideranças precisam estar bem qualificadas para replicar seu conhecimento e os valores da empresa no dia a dia junto à equipe. Dessa forma, o desenvolvimento de recursos humanos, assim como o constante aprimoramento de processos e técnicas devem ser uma obstinação das companhias.

O profissional que almeja um posto de líder deve lapidar ainda sua sensibilidade para escutar. À medida em que se refina essa percepção, ele terá um tato aguçado para compreender e cativar o colaborador sob sua liderança. O meio corporativo valoriza muito e se desdobra para reter os líderes que detêm essa virtude de saber como dar voz às pessoas. E não raras as vezes é essa a chave para a empresa solucionar seus problemas sem perder tempo com medidas infrutíferas, metas inatingíveis e processos que não se encaixam.


Deixe seu comentário