O complexo soja (grãos, farelo e óleo) se manteve em primeiro lugar nas exportações goianas em setembro e no acumulado do ano

A pauta das exportações goiana cresce a cada mês e os produtos chegam em mais mercados de outros países. Em setembro, as empresas com sede no Estado conseguiram vender suas mercadorias para 124 países, 37 a mais do que em agosto, e o mix dos produtos chegou a 280, com acréscimo de 70 novos produtos.

As informações são da Superintendência executiva de Comércio Exterior da Secretaria de Desenvolvimento (ç), compiladas do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. De acordo com o superintendente da SED, Willian O´Dwyer, a conquista de novos mercados para os produtos goianos é fruto do trabalho dos próprios empresários e do Governo de Goiás.

Em setembro, o Estado de Goiás registrou superávit da balança comercial pelo 57º mês consecutivo. Apesar de uma retração no mês passado, as exportações chegaram a US$ 5,9 bilhões no acumulado de janeiro a setembro. “Este valor já é praticamente o alcançado no final de 2017. Diante destes dados, acreditamos que podemos fechar 2018 com US$ 8 bilhões em exportações”, prevê O’Dwyer.

O mês de setembro fechou com saldo superavitário de US$ 249,1 milhões. O volume exportado foi de US$ 584,3 milhões e as importações totalizaram US$ 335,2 milhões. O complexo soja (grãos, óleo e farelo), as carnes e ferroligas ocuparam a ponta do ranking das exportações goianas, que fecharam o mês com a comercialização de 280 diferentes produtos para 124 países, ou seja, 37 destinos a mais que no mês anterior e 70 novos produtos.

“Percebemos também crescimento das exportações de carnes, que se manteve no segundo lugar no ranking dos produtos exportados, mas com aumento de 36,08% se comparado ao mesmo período do ano passado”, ressaltou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Leandro Ribeiro.

No acumulado de janeiro a setembro o saldo comercial acumulou superávit de US$ 3,2 bilhões, valor superior ao alcançado no mesmo período no ano de 2017, que foi de US$ 2,8 bilhões.

As exportações de carnes registraram aumento de 36,08% no mês de setembro, ficando em segundo lugar no ranking dos produtos exportados

Exportações

Em primeiro lugar no ranking dos produtos exportados no mês de setembro, mais uma vez, está o complexo soja (grãos, farelo e óleo), cuja comercialização foi da ordem de US$ 198,9 milhões, representando 34,04% do volume exportado pelo Estado. A seguir, está o segmento carnes com total de R$ 144,2 milhões, ocupando 24,68% do total das exportações.

As ferroligas ficaram em terceiro lugar no ranking de vendas, totalizando US$ 58,8 milhões, seguido pelo Açúcar com US$ 49,2 milhões. Na curva ascendente da balança de setembro seguem: complexo de milho, ouro, couros e derivados, máquinas, equipamentos e aparelhos elétricos e mecânicos, álcool etílico não desnaturado, algodão, e outros produtos de origem animal.

Países de destino

A China desponta novamente em primeiro lugar no ranking dos destinos dos produtos, cujo total das vendas alcançou US$ 193,7 milhões. Dentre os principais produtos comprados: complexo soja, as carnes bovinas, as ferroligas, açúcar, couros e derivados, entre outros.

Os países baixos (Holanda) ficaram em segundo lugar no ranking dos países de destino das exportações goianas totalizando US$ 47,5 milhões em produtos como o complexo soja, as ferroligas, as carnes bovinas, as carnes de aves, gelatinas e derivados, mangas frescas ou secas, açúcar e gengibre.

O Irã ocupou o terceiro lugar, adquirindo 5,36% dos produtos exportados por Goiás. Seguido pelos Estados Unidos, Hong Kong, Egito, Reino Unido, Arábia Saudita, Emirados Árabes e Itália.

Importações

As importações tiveram crescimento de 38,17% em relação a setembro de 2017. Para o secretário Leandro Ribeiro, este aumento representa o aquecimento da produção industrial e comercial goiana. “A indústria farmacêutica continua a pleno vapor, liderando o ranking de produtos (insumos) importados, com participação de 27,99% do valor total das importações. Crescimento de 127% em relação ao ano passado”, avaliou.
O segundo colocado nas importações ficou para as aeronaves e aparelhos espaciais e suas partes, cujo volume de importações ficou em 18,61% do total adquirido pelo Estado, representando um crescimento de 100% em relação a setembro de 2017.

Adubos (fertilizantes) ficaram em terceiro lugar com participação de 15,93%, seguido por máquinas, equipamentos e aparelhos elétricos e mecânicos (9,47%), veículos e suas partes, produtos químicos orgânicos, instrumentos e aparelhos de óptica, entre outros.

Goiás importou mais dos Estados Unidos, totalizando US$ 115,2 milhões, ou 34,39% do total das compras. Seguiram-se no rol dos países fornecedores de produtos: China, Suíça, Alemanha, Japão, Tailândia, Suíça, Canadá, Itália, Índia e Rússia.


Deixe seu comentário

1 comment

  1. Sônia Ferreira Responder

    É Goiás crescendo e aparecendo no cenário nacional.