Os empresários goianos podem voltar a pleitear, a partir desta sexta-feira (14), recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) Empresarial. O recebimento de propostas do FCO Empresarial tinha sido paralisado em julho para uma atualização de sistema. Mas, na quarta-feira (12/08). o Conselho Deliberativo do Fundo, através do Banco do Brasil, comunicou ao secretário Desenvolvimento, Leandro Ribeiro, a retomada dos empréstimos.

A modalidade FCO Rural também está com novidadesl. A partir deste mês, as propostas contratadas terão taxa de juros pré-fixada. Para o FCO Verde e o FCO Desenvolvimento Rural, a taxa integral é de 5,25%. Para Leandro Ribeiro, a retomada na liberação dos financiamentos vai fomentar, ainda mais, a economia no Estado e atende reivindicação do setor.

Nas demais propostas, a taxa integral depende do porte da empresa, e vai de 5,86% a 6,76% (veja detalhes no quadro). Os encargos financeiros têm vigência para contratos assinados até junho de 2019. Já para o FCO Empresarial, os juros são pós-fixados e dependem do faturamento da empresa.

Para este ano, o FCO disponibiliza para Goiás R$ 2,3 bilhões – 29% do montante (R$7,9 bilhões) destinados à Região Centro-Oeste, para as modalidades empresarial e rural. Apenas para o rural, já foi contratado montante de R$ 1,6 bilhão em Goiás até julho. Para o empresarial, foram liberados R$ 246 milhões, até a mesma data. Neste mesmo período, 88,3% das propostas de financiamentos foram de empresários enquadrados como micro, mini, pequeno e pequeno-médio.

O secretário executivo do FCO em Goiás, Agmar Ribeiro dos Santos, informa que as propostas de financiamentos do Fundo, com valor inferior a R$ 1 milhão são avaliadas pelo Banco do Brasil, que é o agente financeiro. Quando o financiamento solicitado é acima desse valor, a viabilidade dos projetos é avaliada pelo Conselho de Desenvolvimento do Estado (CDE), em reunião.


Deixe seu comentário