Complexo soja (grão, farelo e óleo) ocupou o primeiro lugar no ranking dos produtos exportados, representando quase 50% do total das exportações

As exportações goianas cresceram 11,47% em agosto, na comparação com o mês anterior, e fecharam em US$ 768,99 milhões, o maior valor para o mês em análise desde 2008. O saldo da balança comercial (diferença entre exportação e importação) também é o mais alto de todos os tempos – US$ 478,21 milhões, com aumento de 27,5%, enquanto as importações caíram 16% e totalizaram US$ 290,77 milhões. Agosto é o 56º mês consecutivo de crescimento do saldo da balança comercial do Estado.

Os dados são da superintendência executiva de Comércio Exterior da Secretaria estadual de Desenvolvimento (SED), baseados em estatísticas do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

No acumulado do ano, as exportações goianas somam US$ 5,24 bilhões, 11,94% a mais do que no mesmo período de 2017. O saldo da balança comercial chegou a US$ 2,87 bilhões, valor até superior ao total das importações no período em análise, que foram de US$ 2,36 bilhões.

A previsão do superintendente executivo de Comércio Exterior, da SED, William O´Dweyer, é que no fechamento do ano, as exportações superem a casa dos US$ 7 bilhões, o maior valor de todos os tempos. “Diariamente, estamos em contato com representantes de diversos países, mostrando nosso potencial produtivo e abrindo portas para a colocação de nossos produtos no exterior”, disse O´Dweyer.

Complexo soja

No mês passado, os mais de 210 diferentes produtos goianos chegaram às gôndolas dos comércios de 87 países. O complexo soja (grão, farelo e óleo) ocupou o primeiro lugar no ranking dos produtos exportados, representando quase 50% do total das exportações. As vendas somaram US$ 377,85 milhões.

O segundo destaque das exportações goianas, em agosto, foram as carnes, com destaque para as bovinas que cresceram 20,73%. Em seguida, estão o sulfeto de cobre, ferroligas, complexo milho, açúcar, couros e derivados, ouro, equipamentos e aparelhos elétricos.

A China continua sendo o maior parceiro comercial das empresas goianas, adquirindo quase 43% dos produtos vendidos ao exterior, como soja, carnes, ferroligas, açúcar, algodão e peixes ornamentais.

Também figuram entre os maiores compradores de produtos goianos o Irã, Holanda, Índia, Espanha, Vietnã, Estados Unidos e Coreia do Sul.

Já os produtos importados pelos goianos vêm dos Estados Unidos, China, Alemanha, Japão, Suíça, Tailândia, Índia e Rússia, matérias primas farmacêuticas, adubos, produtos químicos orgânicos e veículos automotores.


Deixe seu comentário