Ademar do Nascimento, João Couto e Walysson Machado inovaram no mercado brasileiro e, agora, vão lançar o conceito Fun Food (comida divertida)

A abertura de um negócio de oportunidade ou necessidade, principalmente em função do crescimento do desemprego do País, levou 250 mil pessoas a se formalizarem como microempreendedores individuais em Goiás – no Brasil este número é superior a 7 milhões. “As pessoas ainda desconhecem as vantagens da legalização da sua atividade e os resultados que podem ser alcançados”, afirmou Wanderson Portugal, diretor técnico do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Goiás (Sebrae-GO), nesta quinta-feira (10), durante o lançamento da 10ª Semana do Microempreendedor Individual (MEI).

Os benefícios da formalização dos negócios foram sentidos pelos amigos Ademar do Nascimento Ferreira, João Couto e Walysson Machado. A partir do prazer de comer um bom sanduíche, eles montaram a Bubble Bike em setembro de 2016, em Florianópolis (SC), formalizada na categoria MEI. Posteriormente, transferiram-se para Goiás, Estado natal dos três, e atualmente, já na condição de microempresários, possuem unidades em Goiânia, Rio Verde e Jataí.

A ideia de montar a Bubble Bike surgiu quando Ademar Ferreira e João Couto moravam em Londres. Na Inglaterra, eles conheceram o Egg Waffle, um produto tradicional das ruas de Hong Kong, que tinha como principal conceito a utilização de bicicletas cargueiras para transporte e comercialização dos produtos. No Brasil, eles adaptaram a receita, criando uma massa própria, adaptada ao paladar dos brasileiros. A ideia evoluiu e os três sócios, além de padronizarem a receita para adquirir um padrão de qualidade e paladar, estão se preparando para lançar o conceito Fun Food (comida divertida).

Galdino de Paula e Poliana Obeid, do Luiza Beauty: sucesso no negócio ao adotar sistema de parceria com os profissionais que trabalham no salão

Outro exemplo dos resultados que a formalização como MEI podem proporcionar é o da Luiza Beauty. Galdino de Paula e Silva Júnior aproveitou a experiência da mãe, Luíza Andrade, que montou o salão de beleza nos fundos de casa, em 1981, para inovar na administração do negócio. Galdino de Paula, depois de se qualificar através dos cursos de gestão promovidos pelo Sebrae-GO, adotou o sistema de parceria com os profissionais que atuam no salão.

Atualmente, a Luiza Beauty tem 30 profissionais, todos formalizados como MEI, atuando em parceria. “Esta modalidade de gestão garantiu maiores ganhos financeiros para todos, além de segurança jurídica. O empreendedor brasileiro sofre muito com as altas cargas tributárias”, afirmou. Galdino de Paula frisa que, para prosperar no mercado, micro e pequenos empresários precisam buscar conhecimento em gestão, estar atento à concorrência e inovar sempre.

Quem avaliza as palavras de Galdino de Paula é Poliana Obeid, parceira do Luiza Beauty. Segundo a maquiadora e cabeleireira, é muito importante aprender sobre gestão, principalmente quando são firmadas parcerias. Para ela, a formalização como MEI trouxe segurança e benefícios para os dois lados. “Trabalhar dessa forma garante prosperidade e equilíbrio nas relações”, afirma.

Atividades

A 10ª Semana do MEI será realizada de14 a 19 deste mês, abrangendo 105 municípios goianos, com mais de 1,8 mil horas de atividades. O Sebrae-GO vai proporcionar aos empreendedores oportunidade de esclarecer dúvidas sobre o cumprimento das obrigações legais, capacitação para desenvolvimento do negócio e ampliação do mercado. S erão ministradas oficinas, palestras e orientações técnicas. A Goiás Fomento vai oferecer taxas de juros mais baixas que as praticadas pelo mercado.

De acordo com Wanderson Portugal, os principais setores de atividades do MEI são vestuário, beleza, construção civil, alimentos e bebidas. No total, são aproximadamente 700 categorias de negócios que possibilitam a formalização. Entre os temas abordados durante a 10ª Semana do MEI estão educação financeira e crédito, além de tira dúvidas sobre obrigações legais.


Deixe seu comentário