Tiggo 7

Após a apresentação do Tiggo 2 como primeiro produto da parceria no Brasil, a Caoa Chery já definiu seus próximos passos e tem três outros produtos confirmados para o País. Dois deles, os SUVs Tiggo 4 e Tiggo 7, sairão ainda este ano da unidade da montadora localizada em Anápolis, onde a CAOA monta os carros da Hyundai, como o ix35 e o New Tucson.

O terceiro modelo será o sedã Arrizo 5, do tamanho do Volkswagen Virtus, que será produzido na fábrica de Jacareí (SP). Tendo como concorrente o Honda City, o Arizzo 5 conta com motor 1.5 aspirado de 115 cv e 14,4 mkgf de toque, e opção de câmbio manual de cinco marchas ou automático do tipo CVT com simulação de sete marchas.

Entre 2019 e 2020, também estão previstos mais dois novos veículos da Caoa Chery no Brasil: o Arizzo 6 e o Tiggo 8, com sete lugares, que também deverá ser produzido em Anápolis.

As novidades, que foram anunciadas no Salão de Pequim, deverão estar expostas no Salão do Automóvel de São Paulo, em novembro, quando também serão mostrados modelos elétricos no estande da marca. Entre 2019 e 2020, também estão previstos novos veículos da Caoa Chery no Brasil.

Tiggo 4

Anápolis

O Tiggo 4 tem semelhanças com o Renault Duster em tamanho e também no design. Ele é um pouco maior do que o Nissan Kicks e o Honda HR-V. Tem 4,34 m de comprimento, 1,83 m de largura e 1,65 m de altura, com 2,63 m de entre-eixos e suspensão traseira independente multilink.

O Tiggo 7 é baseado na mesma plataforma do 4. Porém, é maior a ponto de superar as dimensões do Jeep Compass: são 4,50 metros de comprimento, 2,67 metros de entre-eixos, 1,84 m de largura e 1,67 m de altura. Seu conjunto mecânico é o mesmo do Tiggo 4.

Sedã Arrizo 5

Carro nacional

Sobre a possibilidade de um projeto criado especialmente para o mercado brasileiro, a Caoa Chery não descarta o desenvolvimento de um produto inteiramente novo, pensado para o público brasileiro desde sua concepção, porém, não exclusivamente para o mercado nacional.

“Para a realidade de hoje, com modelos cada vez mais globalizados, fazer um carro só para o Brasil não justificaria o investimento”, explica o presidente da Caoa Chery, Marcio Alfonso.

De acordo com a CAOA Chery, o modelo Celer não foi descontinuado. Ele teve a sua produção interrompida para a montadora dar mais foco na produção do Tiggo 2, a fim de atender a demanda de mercado. Dessa forma, passou a trabalhar a venda de Celer utilizando o estoque de carros produzidos.


Deixe seu comentário