Heloysa Teixeira e Edimar Cardoso Junior iniciaram a Frutox apostando no crescimento do mercado de alimentos saudáveis

De uma moenda de cana dentro do apartamento a uma sede organizada em menos de seis meses. Foi esse o início da história da Frutox, uma pequena empresa goiana de sucos naturais, os chamados sucos verdes para dietas e alimentação saudável. Hoje, 15 meses depois e R$ 16 mil de investimento inicial, os sócios Edimar Cardoso Junior e Heloysa Teixeira Soares já estão prontos para ampliar a produção e conquistar novos mercados.

Colegas de faculdade (Direito, concluída em 2014), os dois buscavam uma atividade para explorar depois de formados. Edimar Cardoso já vinha de uma convivência familiar de tradição comercial, enquanto Heloysa Teixeira, já aprovada no exame da OAB, mirava os concursos públicos, cuja crise dos últimos anos no País acabou congelando novos certames.

Pesquisando em que ramo investir, Edimar Cardoso viu pela imprensa o crescimento do mercado de alimentação saudável, em especial os sucos detox. Animado com o que havia descoberto e com o apoio dos pais, ele convidou a colega a apostar no negócio. As primeiras produções (cerca de 15 litros) foram vendidas rapidamente para amigos e parentes, em garrafas de 500 ml.

A boa recepção animou a dupla, que teve mais apoio familiar, desta vez do pai de Heloysa, cedendo o próprio apartamento para receber os primeiros utensílios da Frutox. “Fizemos consultoria no Sebrae e vimos que esse mercado veio para ficar. Não é só questão estética, muitas pessoas têm recomendação médica a mudar os hábitos alimentares para ter mais saúde”, diz Heloysa.

Expansão
O investimento inicial destinou-se à aquisição de liquidificadores, freezer e uma seladora de embalagens, além de pagar a consultoria da nutricionista que criou as receitas Frutox. Começaram com apenas dois sabores: superverde e hibisco. Com o crescimento rápido do negócio, surgiu uma primeira oportunidade de expansão do portfólio e os sócios compraram a marca Suco é Vida, umas das pioneiras no ramo de sucos desintoxicantes na capital, com cinco anos de mercado.

Com a Suco é Vida, a Frutox passou a ter 13 sabores, incluindo dois tipos de chás. A nova marca facilitou também a criação de modelos de venda tipo “combo”, uma cesta variada de sucos a preço convidativo. Mas o superverde segue como carro-chefe. “Ele é uma combinação de caldo de cana, couve, abacaxi, gengibre e limão”, explica Edimar, que no início fazia até as entregas. Os dois sócios seguem sendo os “fazem-tudo” na empresa, mas já contam com uma ajudante no preparo dos sucos e terceirizaram a entrega.

A produção atual é de cerca de 100 sucos por dia, em embalagens de 500 ml e 350 ml. Como boa parte das vendas são feitas online, pela página da empresa no Instagram, a Frutox tem recebido pedidos de fora de Goiânia, mas já está num patamar em que não consegue atender toda a demanda. Além das vendas online, os sucos Frutox têm chegado a alguns empórios da capital, restaurantes e lojas de alimentação saudável.

“O delivery é o nosso foco e continuará sendo, mas já nos preparamos para ampliar a produção e chegar a novos pontos de venda e, quem sabe, outros mercados fora de Goiânia. Para isso, apostamos no congelado, que é uma produção diferente do in natura. No congelado, temos seis meses de validade e facilita um outro tipo de venda”, diz Edimar, diferenciando os produtos do consumo rápido (com três dias de validade) para o congelado. Para isso, a dupla já conta com duas máquinas processadoras dos sucos e uma terceira já está nos planos.


Deixe seu comentário