Leonardo Rizzo abriu sua imobiliária aos 18 anos de idade depois de tentar ser ator nos EUA

A Rizzo Imobiliária, empresa da holding Rio Vermelho, que engloba também a Rizzo Urbanismo, o Instituto Rizzo e a Rizzo Investimentos, está presente em praticamente todos os bairros de Goiânia. Em 40 anos de atividade, afirma ter comercializado 103 mil imóveis (entre lotes, chácaras, casas, apartamentos e salas comerciais) e tem uma carteira ativa de 62 mil clientes. A empresa movimenta cerca de R$ 200 milhões por ano com a gestão de imóveis, com receita anual de R$ 30 milhões. Do lucro, 40% são divididos entre acionistas e os 120 colaboradores.

Fundador e presidente da empresa, Leonardo Cairo Rizzo afirma ao EMPREENDER EM GOIÁS que acredita tanto em seu negócio que deu o próprio nome à empresa. “Quando você sabe o que quer, você assina”, enfatiza. O empresário começou sua trajetória no ramo imobiliário ainda muito jovem, ao se mudar da Cidade de Goiás para Goiânia, quando foi trabalhar como assistente de corretor na Imobiliária Faiçalville.

Aos 18 anos de idade, com o equivalente a US$ 8 mil no bolso, decidiu que queria ser ator nos Estados Unidos. Morou no Texas, mas com uma família de corretores de imóveis. A aventura não demorou muito e, um ano depois, voltou para a capital goiana para abrir sua própria empresa, mas com um foco inovador para a época: vender lotes a prazo quando, em 1978, loteamentos eram a coqueluche do mercado.

Graças ao bom relacionamento com os principais empresários goianos, donos de grandes áreas em Goiânia, como Coimbra Bueno, Lourival Lousa, Peixoto da Silveira, Mauro Borges e outros, Leonardo Rizzo passou a vender lotes deles em bairros como Setores Bueno e Coimbra, Cidade Jardim, Parque Amazonas, Serrinha, Buriti Sereno e outros. Em 1980, sua empresa firmou parcerias com grandes incorporadoras, investindo em condomínios verticais. Foram construídos e vendidos 28 edifícios.

Na década de 90, a Rizzo voltou a inovar no mercado imobiliário da Grande Goiânia ao passar a entregar loteamentos com infraestrutura, como asfalto, água tratada, energia elétrica e área de preservação ambiental.

Com escritórios em Goiás, Tocantins e Distrito Federal, a Rizzo aumentou o seu portfólio, disponibilizando serviços de locação, revenda, loteamento, lançamento e financiamento habitacional em parceria com a Caixa Econômica Federal. Ainda nesse período, iniciou forte atuação no mercado de condomínios horizontais de médio e alto padrão, com o lançamento de marcas como o Portal do Sol. Atualmente, a empresa trabalha com mais de 200 parceiros do mercado.

Sobrevida
Há 12 anos, a Rizzo Imobiliária adotou a prática de governança corporativa, acompanhando as novas tendências de mercado. Com maior transparência na gestão, foi possível fazer parceria com um fundo de investimento judeu-americano, o Capitalis. Com isso, a empresa passou a adquirir com pagamento à vista lotes vagos na malha urbana de Goiânia e de Aparecida de Goiânia, além de cidades vizinhas como Trindade e Senador Canedo.

Com a compra por preços mais em conta, esses imóveis são recolocados no mercado com vendas a prazo. Isto, segundo Leonardo Rizzo, tem garantido à sua empresa e sócios rentabilidade média anual de 28%.

A Rizzo e o Fundo Capitalis já investiram nos últimos quatro anos R$ 80 milhões na aquisição de 1,2 mil lotes, dos quais 1,1 mil já foram vendidos. O empresário estima que a empresa tem sobrevida de pelo menos 40 anos, com a sua carteira de contratos: 10 mil lotes e mais 10 mil apartamentos ou casas na Grande Goiânia.

Em 2000, a empresa goiana fez parceria com o artista plástico Siron Franco e com o jornalista ambientalista Washington Novaes para a fundação do Instituto Rizzo de Cultura e Meio Ambiente, que funciona num prédio réplica do Museu das Bandeiras, da Cidade de Goiás.


Deixe seu comentário