Os empresários e irmãos Patrick e Clayton Gonçalves. Segredo do sucesso é a qualidade e a quantidade dos pratos

Num mercado altamente competitivo e saturado em Goiânia – o de bar e restaurante -, os irmãos Clayton e Patrick Gonçalves, há dez anos, ainda muito jovens, com idade de 30 e 24 anos, conseguiram romper barreiras e ilustrar as estatísticas dos empreendedores que deixaram o emprego com carteira de trabalho assinada e partiram para montar o próprio negócio, o Carne de Sol 1008.

E a iniciativa deu certo. Tão certo que, após cinco anos, expandiram o negócio, abrindo uma nova unidade, que fica a menos de 200 metros de distância da matriz, na Avenida Leopoldo de Bulhões, no Setor Pedro Ludovico, em Goiânia. Recentemente, montaram também uma indústria, ao lado dos dois bares/restaurantes, para cuidar de toda a linha de produção dos petiscos e carnes servidos aos clientes, tudo sob a supervisão de nutricionistas que garantem a qualidade dos produtos.  

Eles anunciam ao EMPREENDER EM GOIÁS que, se a economia brasileira entrar nos trilhos, como preveem os analistas de mercado, vão abrir outra filial do Carne de Sol 1008 em Goiânia, partir para franquear a marca e também expandir a indústria, uma vez que a marca da empresa já está consolidada no mercado. “Temos clientes que vêm aqui no nosso restaurante há 10 anos, desde quando abrimos as portas e cada dia chega um novo”, se orgulham os irmãos Clayton e Patrick.

No topo

As duas unidades do Carne de Sol 1008 estão entre os cinco maiores bares/restaurantes de Goiás na venda de cervejas. São servidas, de mesa em mesa, por mês, 31.200 garrafas de 600 ml. de cervejas, ou seja 1.300 caixas,  outros 800 litros de chope, sem contar as cervejas long neck e em lata.  

Na indústria do 1008, onde trabalham oito pessoas, são processadas por mês 25 toneladas (25 mil quilos) de carnes, entre bovina, suína e de aves que são servidas no dia a dia das duas unidades e também atendendo aos pedidos dos clientes, via delivery. Os produtos caíram tanto no gosto dos consumidores que, pelo menos uma vez por semana, tem pessoas que vão ao bar/restaurante comprar paçoca de carne, manteiga de garrafa, também conhecida como manteiga do sertão, e até molho de pimenta, tudo de fabricação própria, para enviar para amigos e familiares que moram em outros países, como Inglaterra, Estados Unidos, França, Alemanha e outros.

 

Bar e Restaurante 1008: duas unidades com 200 mesas, 150 trabalhadores e sete maîtres

Determinação

Antes de serem empresários, Clayton e Patrick trabalharam como garçom e churrasqueiro. Partiram para abrir o próprio negócio apenas com a cara e a coragem para vencer obstáculos e com o CPF limpo. “Tudo foi muito difícil e ainda é devido à concorrência desleal que existe no mercado, a carga de impostos e a instabilidade da economia que provoca desequilíbrio nos preços das matérias-primas”, afirmam. Por isso mesmo, estão sempre cortando despesas para evitar repassar o aumento dos custos operacionais aos clientes. Mas uma coisa é certa: jamais se descuidam da qualidade dos produtos, da quantidade dos pratos servidos e da atenção ao cliente. “Acho que este é segredo do nosso sucesso”, revelam os irmãos empreendedores.

Várias vezes premiada pela Veja Goiânia, Sebrae e pela Associação Comercial e Industrial do Estado, a história do restaurante   Casa de Carne 1008 começou em 2007, num pequeno espaço na rua 1008, no Setor Pedro Ludovico, em Goiânia. No local, eram servidos apenas espetinhos com alguns acompanhamentos, tudo preparado pelos dois irmãos, pela mãe Odaisa Gonçalves que os ajudava na cozinha, pelo pai João Lopes, pelo primo José Braz e outro funcionário. Eles se revezavam na cozinha, no balcão, no caixa do bar e nos serviços das 11 mesas que comportavam 44 pessoas.

Atualmente, nas duas unidades do 1008 são 200 mesas e 150 trabalhadores e outros sete maîtres que chegam a atender até 1.600 clientes num único dia, nos finais de semana. Os dois salões ocupam uma área de quase 1,5 mil metros quadrados. A administração e a área de atendimento delivery ficam na parte superior do prédio localizado na rua 1008. As vendas delivery representam 30% do faturamento da empresa.

Os empresários lembram que o Carne de Sol 1008 foi o primeiro bar na região da rua 1008. Mas a iniciativa  deles atraiu outros negócios, como dois restaurantes de comida japonesa, duas lojas de açaí, uma pizzaria, outro bar/restaurante e sete estacionamentos. “Nosso pequeno negócio abriu oportunidades de renda para outras pessoas, agregou valor aos imóveis, gerou muitos empregos e melhorou a qualidade de vida de muitas pessoas”, comemoram Clayton e Patrick.


Deixe seu comentário

3 comments

  1. Marcio Costa Responder

    Parabéns pelo sucesso, grandes empreendedor

  2. Luciana Meireles Responder

    Orgulho desses amigos queridos! Deus os abençoe grandiosamente.

  3. José Reis. Responder

    Parabéns que Deus abençoe muito vcs.